Consumo pós-covid: brasileiros devem diminuir ida às lojas físicas na Black Friday e no Natal, revela pesquisa

Consumo pós-covid: brasileiros devem diminuir ida às lojas físicas na Black Friday e no Natal, revela pesquisa

Segundo o Holiday Consumer Survey 2020, quase 40% dos ouvidos no país se dizem preocupados em visitar pontos de venda físicos por causa da pandemia

A pandemia deve impactar o comportamento de consumo de fim de ano no Brasil. É o que aponta o Holiday Consumer Survey 2020, pesquisa online realizada pela Sensormatic Solutions na América Latina (Brasil, Chile, Colômbia e México) que contou com a participação de 400 respondentes no país. 

Segundo o levantamento, 32,1% dos brasileiros afirmam que vão visitar menos lojas físicas neste ano do que em 2019 durante a Black Friday, que ocorre no próximo dia 27 de novembro. Já 31,6% diz não planejar a ida aos ponto de vendas físicos na data.

Somente 12,7% deve manter o número de pontos comerciais visitados no ano passado, enquanto 7% afirma pretender aumentar a quantidade de lojas na ocasião. Em 2019, 66,7% dos entrevistados brasileiros realizaram compras presenciais na temporada de descontos.

Considerando a atual situação da pandemia, 39,8% dos brasileiros afirmaram estar preocupados com a ida às lojas físicas, enquanto 32,6% se dizem muito preocupados. Por outro lado, apenas 5,7% revelaram se sentir despreocupados.

Nesse cenário, as compras online, com recebimento dos produtos em casa, surgem como forte tendência para o Natal. Segundo o Holiday Consumer Survey 2020, 69,9% dos entrevistados vão apostar na modalidade para as compras da data. Ainda de acordo com o estudo, 44,3% dos ouvidos no país devem iniciar as compras de Natal no mês de novembro.

"À medida que os varejistas enfrentam uma nova realidade por causa da Covid-19, acreditamos que a indústria precisa começar a restaurar a confiança do consumidor, e isso começa por ajudar a garantir que a loja seja um ambiente seguro", analisa Bjoern Petersen, presidente da Sensormatic Solutions. Segundo ele, no entanto, "as perspectivas para a temporada de fim de ano continuam positivas."