COLUNA MOMENTOS

Alternativa

Pessoas tóxicas

Coluna Momentos

por pastor Rui Mendes Faria

Haverá algumas pessoas cuja companhia não preferimos, mas isso não as torna tóxicas. Podemos ser opostos polares em ideologia com alguém, mas ainda manter um relacionamento confortável. Pessoas de diferentes lados do espectro político podem desfrutar da companhia umas das outras, fãs de times rivais podem ter um relacionamento e cristãos podem se envolver em interações saudáveis com os descrentes. Mas quando uma pessoa é tóxica, ela é incapaz de manter um relacionamento saudável com ninguém. Somente aqueles dispostos a sofrer as exigências egoístas da pessoa tóxica podem suportar esse relacionamento por muito tempo.

Vários fatores determinam se um relacionamento ou uma pessoa é tóxica ou não:

Pessoas tóxicas são incrivelmente narcisistas e podem pensar apenas em si mesmas e no que querem no momento. Há drama contínuo nos relacionamentos tóxicos. Ironicamente, as pessoas tóxicas costumam ser aquelas que proclamam para que todos ouçam o quanto “odeiam o drama”. No entanto, instigam isso em todos os lugares que vão. Elas parecem prosperar com o drama. Elas não podem ir do ponto A ao ponto B de maneira simples e direta. Elas são um emaranhado constante de desculpas, mentiras, invenções e situações malucas que cansam todos os outros em seu mundo. Elas gostam de complicar situações simples porque mantêm a atenção focada nelas mesmas.

Elas estão sempre certas. Sempre. Pessoas tóxicas olham com desdém para qualquer um que se atreva a corrigi-las ou discordar delas. Elas mascaram seu orgulho extremo com falsa humildade, mas raramente há arrependimento verdadeiro porque não acreditam que estão erradas. A culpa é de todos os outros.

Elas podem parecer encantadoramente charmosas aos de fora, mas os que se relacionam com uma pessoa tóxica conhecem a história real. As pessoas tóxicas apreciam a vitimização. Tudo acontece com pessoas tóxicas, e o mundo deveria prestar atenção. Elas não devem ser responsabilizadas, assim pensam, porque não foi a sua culpa – embora tenha sido. Pessoas tóxicas mentem. Se suas bocas estão se movendo, as pessoas tóxicas provavelmente estão mentindo. Elas mentem mais facilmente do que dizem a verdade e são tão convincentes que mesmo aqueles que sabem melhor questionam suas próprias percepções. Pessoas tóxicas justificam suas mentiras dizendo a si mesmas que não tinham escolha. Quando pegas em flagrante em uma mentira, elas podem fingir remorso, mas o tempo todo podem estar escondendo mais uma dúzia de mentiras que ninguém descobriu ainda.

Você conhece alguém assim?

COMPARTILHE NAS REDES

Alternativa

O valor da paz

Coluna Momentos

por pastor Rui Mendes Faria

Hoje quero te incentivar a valorizar algumas coisas próximas a você, como por exemplo família, trabalho, amizade e a si próprio.

Todos os dias em nossas vidas acontece algo para nos afastar de nossa felicidade. Não é?

Tenho certeza de que durante essa semana, que se finda, algumas coisas aconteceram para roubar a paz. Lembra do almoço em família que foi estragado por causa de um comentário desnecessário? Daquele momento de confraternização, celebração e que acabou tão triste por causa da inconveniência daquele seu parente?

Como a alegria é roubada tão rapidamente e dentro de um simples instante o dia que poderia ser lindo torna-se cinza e triste.

Porém precisamos enxergar que, grande parte do que afeta a nossa alegria e felicidade, está mais relacionado ao nosso interior do que as adversidades externas que tentam nos atingir.

Onde pautamos a nossa alegria e valores irá ditar o quanto deixamos a nossa paz (felicidade) ser afetada pelas decepções e inconveniências.

A humanidade ao longo da história criou uma cultura de que é preciso ter para ser, ou seja, é preciso ter algo para poder se sentir bem, completo e feliz. O fato disso estar muito ligado a bens materiais resulta em perdermos aos poucos o verdadeiro valor das coisas mais simples que nos preenchem.

Por isso quero te convidar hoje a analisar melhor as coisas simples e valiosas da sua vida que você têm deixado um pouco de lado.

Sentir-se bem consigo mesmo, cuidar do seu corpo, um emprego abençoado, um alimento na mesa, uma amizade que te aproxima de Deus, uma família que te apoia e ama: são alguns exemplos de pequenos bens no nosso dia a dia, que, quando devidamente valorizadas nos tornam mais felizes.

Quando a nossa paz está firmada em Deus e no valor das coisas próximas a nós, as adversidades não conseguem mais atingir-nos, pois temos firmados aquilo que somos e aonde queremos chegar.

Seja grato aos seus familiares, a quem abriu uma porta de trabalho a você e suas verdadeiras amizades. Isso não tem preço. Tenha uma semana de paz.

Deus te abençoe.

COMPARTILHE NAS REDES

Alternativa

Faça seu sucesso às custas de sua capacidade

Coluna Momentos

por pastor Rui Mendes Faria

Atualmente, existe uma disputa ferrenha para saber quem é o melhor nisto, ou quem é o melhor naquilo, e isto sempre atrapalha o bem viver, já que existe a ânsia de vencer alguém. Mas, quando as pessoas compreenderem que o mundo não é para ser disputado palmo a palmo, mas sim compartilhado, quando deixarem de lado o desejo de ser ‘o centro das atenções’, talvez entendam que a humildade é privilégio dos grandes, e apenas os medíocres não sabem disso.

Para que essa necessidade de se provar que é melhor do que os outros? Deixe que os outros julguem se realmente somos bons naquilo que fazemos. Façamos nossa parte bem-feita, sem a preocupação de aparecer como o melhor, evitando pisar nos outros que talvez possam atrapalhar nossa marcha, para que nosso mérito possa ser reconhecido por realmente, existir.

Devemos nos aperfeiçoar naquilo que fazemos, estudando, procurando sempre melhorar. Fazendo bem-feito, não precisamos diminuir a capacidade alheia para provar nossa superioridade, ou melhor, nossa qualidade.

Aprendendo a respeitar as pessoas, o indivíduo cresce espiritualmente, e melhora tanto como pessoa, que não lhe sobra tempo para criticar outras pessoas. Para mostrar que é bom, não precisa tentar provar que outros são inferiores. Basta fazer sua parte bem-feita. Faça seu sucesso às custas de sua capacidade, e não graças à incapacidade dos outros. Não existe muito mérito se obtivermos sucesso graças à ineficiência alheia, ou mais ainda, se precisarmos prejudicar alguém para conseguir êxito.

Nunca devemos negar nossos conhecimentos a quem nos procurar. A soberba faz mal para o próprio indivíduo, pois acaba afastando amizades, e pior, provocando inimizades. Paulo ensina em sua epístola ao Filipense 2:3e4. “Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo. Não atente cada um para o que é propriamente seu, mas cada qual também para o que é dos outros”.

 

Deus te abençoe!

COMPARTILHE NAS REDES

Alternativa

Páscoa é a celebração da morte e ressurreição de Jesus Cristo

Coluna Momentos

por pastor Rui Mendes Faria

Foi durante a celebração da festa da Páscoa, que mais tarde Jesus Cristo foi oferecido como sacrifício pelos pecados de todos. Aqueles que acreditam nas Suas Palavras podem receber o perdão que Ele concede graciosamente.

Todos nós fomos escravizados pelo pecado e precisamos ser libertos. Deus prometeu trazer julgamento sobre o mundo, mas Ele nos ofereceu um escape: Jesus Cristo.

Os israelitas sacrificaram um cordeiro para salvar suas famílias. Deus sacrificou seu próprio Filho para nos salvar! Durante a festa da Páscoa judaica, Jesus morreu na cruz em nosso lugar. Agora quem crê em Jesus como seu Salvador está livre da condenação.

O sangue de Jesus é um sinal na vida de quem o ama, protegendo do castigo eterno. Ele liberta da escravidão do pecado e dá uma vida nova. Agora todos podemos fazer parte do povo de Deus e viver em liberdade!

É por isso que continuamos a celebrar a Páscoa, mas com um significado diferente do Antigo Testamento. Celebramos a libertação do pecado, o perdão do castigo e a vitória sobre a morte! A Páscoa é a celebração da salvação conquistada por Jesus Cristo.

 

Feliz Páscoa!

Pastor: Rui Mendes Faria

COMPARTILHE NAS REDES

Alternativa

Suportando o processo 2 – José um homem que suportou o processo

Coluna Momentos

por pastor Rui Mendes Faria

José um homem que suportou o processo

Todas as vezes que pego pensando nesse ciclo de viver um processo para futuramente viver um propósito me vêm na cabeça a história de José. Um jovem sonhador, que chegou em um alto posto em meio à um povo do qual o desprezava, lembre-se que José saiu de uma prisão para ser o segundo homem mais precioso de todo o Egito. José passou por diversos processos, até que finalmente chegasse no governo do Egito, e para chegar em tal posto, José teve de administrar a casa de Potifar e administrar o cárcere, isso tudo antes de administrar o Egito.

E, em todos os momentos a Bíblia não nos mostra José reclamando por passar por tais situações, ser acusado injustamente, ser vendido pelos seus irmãos, ser esquecido após interpretar sonhos, foram partes de um longo processo que preparou José para umas das principais funções de toda uma cidade. E Deus havia um propósito muito maior do que apenas colocar José em uma posição de destaque. Deus necessitava que Israel pudesse viver e suportar aquela crise, e aquilo só foi possível graças a José; a Bíblia nos diz que José foi lembrado por um certo período entre as transições de governo, até que um belo dia não houve mais um faraó que lembrasse de José e foi aí que o povo Israel virou escravo do Egito.

Em resumo, preciso que você entenda que o processo sempre irá te preparar para viver um propósito. Um vaso só pode ser usado depois de um processo de construção e preparo nas mãos de um habilidoso oleiro, e para um vaso ser usado com qualidade, ele passa por um longo processo de modelagem, por muitas voltas e desmanches, por uma fornalha. Mas no fim de tudo o vaso está perfeitamente apto para exercer sua função. Pare de ver seus processos como tribulações e comece a ver como preparações para viver os propósitos de Deus para sua vida.

Deus te abençoe!

COMPARTILHE NAS REDES

Alternativa

Suportando o processo

Coluna Momentos

por pastor Rui Mendes Faria

Querido leitor em meio aos dias apertados e momentos de lágrimas, lembre-se de que o processo faz parte da história que Deus está escrevendo em sua vida. Há algo profundo acontecendo, algo que não vemos de imediato, mas que está moldando o nosso ser.
O processo pode ser doloroso, os dias difíceis e a pressão podem aumentar, mas em cada lágrima, em cada momento, Deus está operando. Suas lágrimas regam o solo de sua vida, germinando uma árvore que, no devido tempo, crescerá e produzirá frutos surpreendentes.

Cada segundo desse processo é um momento de aprendizado, uma oportunidade para Deus lapidar o diamante que é você.

Querido, Deus não deixa nada inacabado. Ele começou uma boa obra em você, e Ele é fiel para completá-la.

O que hoje pode parecer desmoralizado e doloroso é, na verdade, um investimento divino em sua vida. Deus está moldando você, fortalecendo sua fé, dando-lhe resistência para enfrentar o que está por vir.

Quando a pressão aumenta, quando as lágrimas caem, lembre-se de que o resultado será surpreendente.

Deus está cuidando de cada detalhe, e mesmo que o processo pareça demorado, Ele não falha. Ele está com você em cada passo da jornada, vencendo batalhas que você nem sabe que está enfrentando.

Deus te abençoe!

COMPARTILHE NAS REDES

Alternativa

O poder da feminilidade

Coluna Momentos

por pastor Rui Mendes Faria

Não teria como passarmos por essa semana sem tratarmos com tanto zelo, e devida importância, o dia internacional da mulher, consequentemente, o extremo poder e importância que o seu papel tem na sociedade. Porém, podemos concordar, que atualmente temos sido afetados por muitas ideologias e pensamentos de desconstrução da família (homem, mulher e filhos) e isso tem gerado na sociedade uma disfunção dos papeis.

A mulher, em sua essência e por características naturais, é um ser muito mais virtuoso que o próprio homem, a mulher é detalhista, sensível ao ambiente e as situações, carrega consigo sabedoria, habilidosa, entre outros, mas principalmente, a mulher tem uma facilidade maior para lidar com as emoções e sentimentos e é nesse ponto que devemos olhar para entendermos o poder que o papel da feminilidade tem na sociedade. Desde Eva, Deus já sabia o quão necessário seria para o homem e o mundo as características que a mulher naturalmente carrega, como forma de equilíbrio e melhor relacionamento com o Criador, por isso que ela é criada a partir da costela do homem, uma evolução, enquanto o homem é criado do pó da terra, criação que também traz a interpretação da necessidade da mulher na vida do homem. Não foi sem intenção que a primeira pessoa a qual Jesus se revela como Cristo, é uma a mulher samaritana, pois Jesus já sabia a importância do papel da mulher.

Se olharmos atentamente para a humanidade, percebemos que o grande caos que enxergamos é todo derivado do próprio ser humano e seus pecados, porém o mesmo ser humano, é movido e é fruto dos seus pensamentos e de como ele lida com eles; eu posso ser uma pessoa que saber lidar com o sentimento de raiva e não externa-la, como posso ser uma pessoa que não sabe lidar com a raiva e saio batendo em todo mundo. A bíblia relata que a mulher sábia edifica o lar e a tola o destrói, o fato de saber lidar melhor com emoções e sentimentos faz com que ela saiba ter domínio próprio sobre suas atitudes; consegue imaginar um mundo onde todas as pessoas tivessem domínio próprio ao invés de agir por impulso e cometer atrocidades? Pois é!

A mulher tem o papel de gerar a sociedade e dentro dessa responsabilidade há um poder em suas mãos. O grande problema é que temos fortes movimentos ideológicos tentando descontruir a ideia de que as mulheres tem suas características fortes e os homens tem outras (todo mundo é igual, todo mundo pode ser o que se identificar) e que ambos se completam em um cenário onde os papeis estão bem firmados, não adianta eu tentar tirar leite do boi sendo que o leite vem da vaca.

Uma pessoa que tem domínio próprio da sua alma (vontades e emoções) conseguirá desenvolver mais fácil o seu relacionamento com Deus e o Espírito Santo, e por consequência, começará a ter seu caráter moldado por Jesus. Por isso mulheres, ensinem os seus filhos a identificarem e lidarem com os sentimentos e emoções.

É preciso resgatarmos e afirmamos a feminilidade se quisermos resgatar a sociedade.

COMPARTILHE NAS REDES

Alternativa

O mundo das drogas

Coluna Momentos

por pastor Rui Mendes Faria

Pode ser ou não até ser um assunto polêmico para você ou talvez um tanto delicado, mas mesmo que isso não faça parte do seu ciclo te chamo para compartilhar desta reflexão comigo por alguns minutos, pois o fato é de que atualmente, afetando a sua realidade ou não, o número de pessoas envolvidas com as drogas tem se alastrado cada vez mais e a faixa etária do início de uso acompanha esse espanto, o que um dia era comercializado majoritariamente entre jovens adultos, hoje se expandiu para a pré-adolescência, muito devido a forma a qual a imagem da droga tem sido passada nesta geração, sinônimo de divertimento, curtição e muitas vezes até sucesso.

O problema é que não se trata da droga, e sim, do motivo emocional por trás da necessidade de preencher algo, a falta de determinada sensação que faz o ser humano busca-la em outros recursos, de onde vem essa lacuna não preenchida. Eu te pergunto, de onde vem a lacuna mal preenchida na sua vida? Amor? Paternidade? Incentivo? Cuidado? A ponta exposta do Icerberg não revela o que ele realmente é.

Todos temos lacunas mal preenchidas ao longo da nossa vida, e isso vem pela forma a qual o mecanismo do pecado na sociedade acaba ferindo a nós mesmos, pois estas lacunas são a falta de preenchimento de Deus em determinadas áreas do nosso ser, porém é muito mais cômodo fugirmos para subterfúgios práticos e de rápida resposta, mesmo que de curta duração, do que buscar conhecer e reconhecer quem é o Deus que preenche as minhas lacunas.

O organismo de cada ser humano tem suas próprias peculiaridades e pré-disposições, isso está no DNA, e também suas influências ao longo da vida, então claramente cada um tem seus subterfúgios, sendo de frequências mais leves até o estágio de dependência, e também dos tipos mais leves aos mais pesados indo da pessoa que se empanturra de doces ao que se acaba em drogas ilícitas, da viciada em trabalho ao que precisa farrear todos os dias, as que se acabam com drogas lícitas, como remédios de tarjas fortes ou álcool e por ai não para mais.

Quando temos a capacidade de enxergarmos que há uma mesma raiz de mal para as demais ramificações de problemas, entendemos que é preciso buscar a cura na raiz ao invés de condenar o fruto. Quando olhamos para Jesus, entendemos que a cruz traz esse significado de remissão e de cura na raiz do mal, Ele que nos ensina a buscar em nosso interior onde essa raiz se encontra, através da cruz temos acesso a uma nova realidade de vida e relacionamento com Deus onde não há mais lacunas mal preenchidas, Jesus Cristo Preenche Todas as Lacunas!]

O departamento terapêutico da Comunidade Evangélica Cristo Vive se coloca a sua disposição e de sua família. 19 3869-8499

COMPARTILHE NAS REDES

Alternativa

Falei o que não devia e me arrependi, e agora?

Coluna Momentos

por pastor Rui Mendes Faria

Já aconteceu em determinado momento em que perdeu a cabeça e falou o que não devia e se arrependeu? Às vezes a melhor coisa que fazemos é não dar uma resposta.

O que fazer para evitar arrependimentos nos momentos de tensão?

Parar e pensar, nem que seja por alguns segundos é necessário, e pode ajudar a não falar algo que você vai se arrepender instantes depois. É importante saber o momento de ficar quieto e apenas ouvir. Pode parecer difícil, mas, com o tempo e experiencia de vida, aprendemos cada vez mais que em determinados momentos, o mais saudável que podemos fazer é esperar a poeira baixar, e assim, evitar uma briga.

Algumas pessoas percebem o que foi feito na hora, tem pessoas que demoram horas, dias ou que nunca reconhecem o erro porque pensavam estar com a razão. Um pedido de desculpas é a coisa mais importante que podemos fazer. Para muitos, é difícil aceitar que estão errados, porque acham que isso os minimiza. Entretanto, é importante ter maturidade para reconhecer que podemos cometer erros que afetam o outro e assumir a responsabilidade pelo que fazemos.

Uma frase mal colocada, por exemplo, pode destruir uma carreira, amizade ou uma relação. E não é essa a intenção, certo?

Muitas pessoas dizem “ah, mas eu fui sincero!” Não confunda sinceridade com grosseria ou “personalidade forte” como algumas pessoas chamam por aí.

Como eu posso melhorar isso? Pare, respire e se pergunte “Vale a pena brigar?”. Na maioria das vezes, as brigas ocorrem por coisas bobas e muitas vezes, cotidianas, e o pior de tudo, podemos fazer tempestade em copo d’água que nos fazem perder a cabeça momentaneamente a troco de nada. Vai valer a pena mais essa discussão que pode custar o seu dia?

Não leve adiante uma briga por orgulho. Lembre-se sempre, abandonar esse tipo de situação não é uma atitude covarde ou vergonhosa, isso apenas mostra que você é uma pessoa forte e que sua tranquilidade vale muito mais.

Uma outra coisa é calar e praticar o silêncio, ficar quieto é sempre a melhor opção. Reflita sobre suas palavras e seus sentimentos naquele momento. Respire fundo e se coloque no lugar do outro e mantenha o autocontrole.

Vivemos um período de muitas dificuldades e estresse, e uma boa dica pode ser pedir para continuar a conversa em outro momento e esperar a poeira abaixar. Na maioria das vezes, a discussão era apenas calor do momento.

Deus te abençoe!

COMPARTILHE NAS REDES

Alternativa

O Lar Cristão – nº 3

Coluna Momentos

por pastor Rui Mendes Faria

Pais de filhos adolescentes

Criar filhos adolescentes tornou-se um desafio quase impossível para muitas famílias cristãs. A sensação de impotência quanto à formação da pessoa dentro dos moldes cristãos nessa fase da vida, invariavelmente, vem acompanhada daquelas dúvidas que persistem em atormentar a consciência dos pais: a educação que oferecemos produziu pessoas responsáveis e bem-sucedidas? O modo como criamos interfere em algum nível na conversão dos filhos? E quando os filhos se perdem obstinadamente numa vida de devassidão? De quem é a culpa?

É importante saber que salvar não é uma prerrogativa humana, mas desejar a salvação de quem se ama é completamente coerente e esperado dos pais cristão, pois são eles que assumem a responsabilidade de instruir os filhos nos termos da Palavra de Deus. “Essas palavras deveriam ser guardadas no coração e ensinadas aos filhos quando estivessem assentados em casa, andando pelo caminho, ao levantar-se e ao se deitar”. Deuteronômio 6.6-7
Entregue seu filho nas mãos de Deus, pois Ele cuida e guarda, enquanto nós amamos e damos suporte. Essa é a maneira mais confortante para se manter viva a esperança de que nossos filhos serão convencidos pelo Espírito Santo sobre a justiça, mesmo quando nada pareça estar saindo como planejado.

Um outro ponto que quero falar é quando os pais confundem disciplina com autoritarismo excessivo, disciplinar não é apenas ajustar comportamentos e condutas desviantes, mas imprimir uma rotina vigorosamente educativa e amorosa.

Disciplina sem amor pode gerar ódio no coração do filho e é aqui, que os pais precisam estar atentos à maneira como os filhos sentem a irritação, pois ela não se manifesta apenas em surtos de raiva e cólera, mas de forma multifacetada, algumas vezes causando graves danos à saúde física e emocional, como por exemplo, as ideias suicidas, depressão, ansiedade crônica, distúrbios de aprendizagem, automutilação, uso de drogas e outros. Fenômenos estes, que vemos aumentar exponencialmente a cada ano, conforme estatísticas das agências de saúde. Quando o vínculo se quebra, o que há de mais precioso se perde: a relação!

O resultado desse desencontro é que pais e filhos deixam de perceber a imagem de Deus refletida um no outro, o que os despersonaliza. Os pais enxergam os filhos como bombas de testosterona, estrógeno ou como criaturas rebeldes e incontroláveis. Essa distorção pode ser o primeiro passo rumo ao desastre da perda; as consequências são imensuráveis e certamente produzirão angústia e desespero. Os filhos, por sua vez, percebem os pais como monstros, cuja única tarefa é tolir sua liberdade. O senso de respeito se rompe e a consequência é a ira, manifesta em ressentimento e ingratidão.

Que Cristo, em sua infinita misericórdia, renove os relacionamentos familiares dentro dos lares cristãos e ajude os pais a perceberem os filhos, especialmente na fase da adolescência.

Deus te abençoe!

COMPARTILHE NAS REDES