Jair Fini

Jair Fini

Conteúdo relacionado - Autor - Texto Principal

Festas & mistérios

Na minha infância lá pelos anos 60, fazia sempre muito frio no período de inverno. Para driblar o frio com geadas constantes em nossa região, as festas juninas com suas fogueiras eram bem vindas para esquentar o ânimo das pessoas. No mês de  junho aconteciam as festas de Santo Antonio dia 13, São João 24 e São Pedro 29 e todos eram dias santos, ou seja, feriados em âmbito nacional. Quando o primeiro presidente do regime militar no Brasil Humberto de Alencar Castelo Branco reformulou os feriados, eliminou esses três de uma só vez. Pouco tempo depois em 18 de julho de 1967 Castelo Branco sofreu um acidente de avião nos céus do Ceará, outro avião resvalou com a asa no avião em que estava Castelo Branco, o avião caiu e o ex-presidente faleceu. Especialistas em aviação não souberam explicar até hoje o mistério desse acidente, principalmente devido a segurança exigida no plano de vôo presidencial, alguns supersticiosos diziam: “bem feito, quem mandou acabar com os feriados desses santos!”.    

Quando estive a passeio em Fortaleza anos atrás, visitei o mausoléu suspenso onde foi sepultado Castelo Branco. Embaixo do mausoléu havia um espelho d’água e ao lado uma escada com vários degraus irregulares de propósito, obrigando o visitante baixar a cabeça e olhar para baixo para não cair, fazendo com isso uma reverência ao ex-presidente. Só faltou mesmo no epitáfio a inscrição: “Aqui jaz o ilustre ex-presidente cearense Humberto de Alencar Castelo Branco, que entre outros feitos instituiu o FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço), e eliminou vários feriados para o bem do Brasil”.   

Voltando às festas juninas, eram na maioria realizadas próximas às igrejas e também nos terreiros de pessoas devotas de algum desses santos. Além da fogueira existiam pipoca, pinhão, batata doce, geléias, quentão, vinho quente, em muitas começaram a ter quadrilhas com o pessoal vestido a caráter ou seja igual aos caipiras com chapéu de palha, o casamento dos noivos e o pau de sebo com  prêmios para  quem alcançasse primeiro o mastro com a bandeirinha de um dos santos. Soltavam-se balões pequenos, rojões, bombas e os terríveis buscapés que sem controle de suas trajetórias podiam causar acidentes. Nessa época quem coincidia de nascer nesses dias santos recebia o nome de um dos santos como nome de batismo, enfim era uma festa cristã.

Hoje essas festas anuais estão ganhando corpo nos Estados nordestinos, onde atraem milhares de turistas do mundo inteiro, e com isso trazem trabalho a muita gente, sem contar com as inovações de danças, músicas, coreografias que deixam o turista animado até para dançar junto com os animadores desses eventos.        

Voltando ao mausoléu de Castelo Branco, recentemente o governo do Ceará convocou especialistas mundiais em mausoléus, sem licitação devido a urgência do caso, para tentar descobrir a procedência de tremores que vem causando fissuras, ou seja, recentes rachaduras, as quais motivaram até a secagem do espelho d’água. Depois de muitas pesquisas até diuturnas usando vários instrumentos vindos da Inglaterra, Suécia e Estados Unidos, os especialistas conseguiram inclusive filmar o interior da câmara mortuária onde se encontra os restos mortais do ex-presidente, e por unanimidade chegaram à conclusão que Castelo Branco andou se virando no túmulo, foi o que causou as rachaduras. O motivo cogitado pelos pesquisadores foi a noticia que o atual presidente capitão Bolsonaro, iria mexer no FGTS, liberando R$ 500,00 de retiradas a cada um dos trabalhadores brasileiros. Está assim desvendado o mistério do mausoléu cearense, só que depois desses estremecimentos parece que o capitão não baterá mais continências ao marechal e o marechal com certeza não baterá ao capitão.