Érica Godoy Delben

Érica Godoy Delben

Dra. Érica Godoy Delben - Clínica Geral

Conteúdo relacionado - Autor - Texto Principal

Dia Mundial do Diabetes

Dia 14 de novembro é comemorado o Dia Mundial do Diabetes. Essa data foi instituída pela Federação Internacional de Diabetes (IDF) e pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para reforçar a conscientização a respeito desse mal, principalmente, em relação a sua prevenção e os problemas associados à doença, como alta mortalidade por doenças cardiovasculares (infartos e insuficiência cardíaca), AVC (derrame), complicações específicas da doença, como insuficiência renal, perda da visão, alteração de sensibilidade nos membros inferiores e consequentes úlceras e amputações.

Diabetes é uma doença crônica na qual o corpo não produz insulina ou não consegue utilizá-la adequadamente. A insulina é um hormônio e sua função principal é promover a entrada de glicose, proveniente dos alimentos, para as células do organismo de forma que ela possa ser aproveitada para as diversas atividades celulares. A falta da insulina ou um defeito na sua ação resulta, portanto, em acúmulo de glicose no sangue, o que chamamos de hiperglicemia. Se esse quadro permanecer por longos períodos, poderá haver danos em órgãos, vasos  anguíneos e nervos.

Os principais tipos de diabetes:

Tipo 1: o sistema imunológico do corpo ataca e destrói as células que produzem insulina. Os principais sintomas são: sede, diurese e fome excessivas, emagrecimento importante, cansaço e fraqueza. Se o tratamento não for realizado rapidamente, os sintomas podem evoluir para desidratação severa, sonolência, vômitos, dificuldades respiratórias e coma.

Tipo 2: o corpo não produz insulina suficiente ou as células do corpo não reagem à insulina, mantendo o nível de glicose alto no sangue. Esse é o tipo mais comum , cerca de 90 % dos casos de diabetes. Os principais sintomas são: sede, aumento da diurese (urina), dores nas pernas, alterações visuais entre outros, e podem demorar vários anos até se apresentarem. Se não reconhecido e tratado a tempo, também pode evoluir para um quadro grave de  desidratação e coma.

Diabetes gestacional: caracterizada pelo aumento do nível de glicose no sangue da mulher grávida, geralmente associada a uma condição prévia de pré-diabetes ou ganho de peso excessivo na gravidez. Quando o bebê é exposto a grandes quantidades de glicose ainda no ambiente intrauterino, há maior risco de crescimento excessivo (macrossomia fetal) e, consequentemente, partos traumáticos, hipoglicemia neonatal e até de obesidade e diabetes na vida adulta. O pré-diabetes é definido por pessoas que tem níveis de açúcar no sangue acima da faixa normal, mas não alto o suficiente para ser diagnosticado como tendo diabetes. Nesta fase, ainda é possível reverter o quadro com alimentação equilibrada e atividades físicas.

O rastreamento do diabetes é muito simples: através de um exame de sangue, a glicemia de jejum, ou mesmo através da glicosimetria feita com uma gotinha de sangue com o resultado em segundos e esses exames podem ser feitos nos postos de saúde. O não tratamento do diabetes acarreta em complicações irreversíveis e abreviação da vida, portanto, se tiver sintomas ou dúvidas a respeito, procure o médico, faça exame; se diagnosticado, leve o tratamento a sério, as complicações só ocorrem em quem resiste ao tratamento adequado!

Conteúdo relacionado - Autor