Edemilson Barbarini

Edemilson Barbarini

Conteúdo relacionado - Autor - Texto Principal

Rodas de amigos - parte III

Mesmo em quarentena, os amigos se conversam por diversos aplicativos, e logicamente não fujo a esta regra. Em uma dessas conversas, surgiu o assunto política (como sempre). Falamos de vários temas relacionados, até que chegou a uma frase muito interessante, a tal de “pedido de vistas”.
Trata-se de uma solicitação muito comum utilizada por vereadores, deputados e senadores com o propósito de analisar determinado projeto. Na linguagem popular, significa que “vai demorar para acontecer”, afinal, todos esperam pelo desfecho, quando de repente na última hora, alguém ergue a mão ou pede a palavra e solicita um prazo para uma nova análise. Aí cidadãos, as pessoas que acompanham levam um balde d’água na cabeça.
No bate-papo, conversamos sobre o “pedido de vistas” que os nobres vereadores têm por direito, visando analisar os projetos de leis antes de irem para votação. Lembrando que para acontecer este fato, a maioria dos vereadores deverá aprovar o referido pedido de um nobre colega.
Pois bem. Em uma pequena cidade do interior é comum os “pedidos de vistas” aos projetos de leis. Mas um projeto chama muito atenção de tantos “pedidos de vistas”. Este projeto trata sobre a possibilidade de diminuição do número de vereadores.
É bom frisar que este assunto já foi abordado por mim em outros momentos neste respeitado jornal, onde comentei da necessidade da redução do número de vereadores.
Mas voltando ao assunto, este projeto faz muito tempo que caminha a passos de tartaruga. Já foram formalizados pelo menos 04 “pedidos de vistas” neste ano, e dá para deduzir que a intenção é de só colocar em votação após expirar o prazo eleitoral, e caso aprovado, entrará em vigor somente em 2025!!! Em algumas sessões, vários vereadores foram contra o “pedido de vistas”, mas não o suficiente para barrar esta manobra política.
Esperamos que a atitude desta minoria de vereadores que são favoráveis à diminuição de cadeiras, possa nas próximas semanas ganhar outros vereadores favoráveis à redução, para já entrar em vigor em 2021.
Pelo projeto oficial, a economia será de R$ 1 milhão de reais por ano. Na opinião desta roda de amigos, a redução ideal seria de 17 para 11 vereadores, o que representa uma economia de R$ 3 milhões de reais ao ano.
Estamos passando por um momento delicado, seja na vida familiar ou profissional, devido à crise que afeta a todos, e qualquer economia que façamos é de suma importância. Os nobres edis devem analisar que o dinheiro a ser economizado neste projeto certamente será muito bem vindo para a cidade. Basta aprovar!
Na conversa pelas redes sociais, os amigos questionam sobre este projeto que se transformou em uma ironia. Ironia porque inicialmente 13 vereadores assinaram favorável a esta redução, porém, muitos que assinaram estão atualmente remando contra aprovação.
As eleições este ano serão um marco divisor. Será uma eleição diferente de qualquer outra, por inúmeras razões: coronavírus, crise econômica, diminuição de cargos comissionados, propaganda política mais restrita, fim de coligações para vereadores.
Neste momento temos que analisar se os atuais vereadores merecem nosso voto para se reeleger ou temos que votar em outro candidato que tenha um perfil mais comprometido com as necessidades de nossa cidade. O voto branco ou nulo favorece a eleição de candidatos que às vezes não conhecem as necessidades do município.

Edmilson Barbarini, servidor público, bacharel em ciências contábeis