Secretária de Saúde fala sobre o atual momento da pandemia em Valinhos

Secretária de Saúde fala sobre o atual momento da pandemia em Valinhos

A Secretária de Saúde, Carina Missaglia, falou sobre o atual momento da pandemia da Covid-19 em Valinhos. Após um ano e um mês de combate à pandemia, a cidade vive o período mais crítico com o aumento de casos positivos, mortes diárias e a falta de leitos nos hospitais da cidade.

Para Carina, a gravidade da pandemia se deve a dois fatores: falta de conscientização de algumas pessoas e novas variantes da doença. “Sem dúvida, o negacionismo, a aglomeração e falta de respeito aos protocolos sanitários somado às variantes que se apresentam no Brasil e no mundo”.

Ela comentou que a maior necessidade desse momento é administrar a estrutura da Secretaria de Saúde para dar condição de dar continuidade ao enfrentamento. “O desafio é manter o processo de estruturação contínua da saúde com equipamentos, recursos humanos e medicamentos para estarmos sempre atentos a estas variações da pandemia”. Neste sentido, a secretária destaca que também está atenta às condições dos profissionais que estão na linha de frente com apoio psicológico e, se necessário, psiquiátrico.

Para a secretária, a pandemia desacelerou e Valinhos passa por um período melhor do que o mês de março. “Mesmo com esta desaceleração devemos continuar o trabalho, preparando inclusive para eventuais outros picos que uma pandemia pode causar”, finaliza. 

Qual a opinião da secretária sobre o Tratamento Precoce?

Importante ressaltar que todas as doenças necessitam de um atendimento preventivo, ou tratamento precoce, para justamente evitar ao máximo o agravamento.  Como a Prefeita tem falado sobre o assunto, o que temos é o dever de cuidar das pessoas, na Saúde, sustentado nos protocolos médicos de atendimento. E é assim que temos trabalhado em Valinhos, investindo no atendimento inicial, para que esta doença seja monitorada logo no início dos primeiros sintomas.

Algumas cidades já estão vacinando pessoas com menos de 68 anos. Por que Valinhos ainda não está vacinando essa faixa etária?

Na região, não temos cidades vacinando abaixo de 68. E vacinamos conforme os lotes são entregues e para quais grupos o Estado direciona. O que seguimos é o Plano Nacional de Imunização, com a gestão do Governo do Estado, iniciando as etapas assim que são encaminhados os lotes. Já estamos vacinando em Valinhos os idosos de 68 anos e acima. E, nesta quarta, o Estado divulgou as novas etapas da Vacinação em São Paulo, sendo 67 anos com início a partir de 14 de abril e 65 e 66 anos, com início a partir de 21 de abril.

Valinhos tem insumos hospitalares suficientes para esse momento da pandemia

O que temos recebido de informações dos hospitais é que, sim. Mas a atenção terciária, que são os hospitais, não são geridos pela gestão pública. Portanto, sugiro entrar em contato direto com eles.

A Secretaria de Saúde faz algum trabalho junto aos profissionais de saúde visando bem estar dos profissionais que estão na linha de frente? Quais ações são desenvolvidas?

Sim, inclusive com suporte de profissionais da área de psicologia e psiquiatria se necessário for.

Qual a previsão da pandemia para os próximos meses?

Temos, num momento,uma situação diferente do que vivemos em Março, e diferente das demais cidades da região que ainda sofrem com esta onda de forma agressiva. Contudo, mesmo com esta desaceleração, devemos continuar o trabalho, preparando inclusive para eventuais outros picos que uma Pandemia pode causar.

Já existem casos confirmados da variante ou nova cepa na cidade? Quais? Quantos?

Confirmado não, e o Adolfo Lutz é que é responsável por esta comunicação.

Para a secretária, quais os motivos que levaram a viver o período mais crítico da pandemia?

Sem dúvida, o negacionismo, a aglomeração e a falta de respeito aos protocolos sanitários, somado às variantes que se apresentam no Brasil e no mundo.

Atualmente qual o maior desafio no enfrentamento à pandemia?

Manter o processo de estruturação contínua da Saúde, com equipamentos, recursos humanos, medicamentos para estarmos sempre atentos a estas variações da Pandemia.