Saúde: 33% dos pacientes faltam a consultas na rede municipal

Saúde: 33% dos pacientes faltam a consultas na rede municipal

Levantamento realizado pela Secretaria da Saúde de Valinhos, referente ao ano de 2018, apontou que 33% do total de consultas agendadas nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) deixam de ser feitas pela ausência do paciente. A porcentagem também é baseada nos atendimentos realizados no Centro de Especialidades de Valinhos (CEV). A cada três consultas marcadas, uma não é feita porque o paciente não aparece na unidade de saúde.

O índice de absenteísmo, quando os pacientes marcam consultas nas unidades de saúde do Município e não comparecem no dia agendado, é preocupante porque prejudica pessoas que poderiam ser atendidas no lugar daquelas que não comparecem.

“Quando o munícipe faz o agendamento, ele recebe o comprovante. É necessário que preste atenção ao dia marcado. O esquecimento é um dos principais motivos para os pacientes faltarem”, disse a diretora do Departamento de Assistência à Saúde, Helena Tamiko Honda Tanaka. Segundo Helena, a ausência reflete diretamente na rotina da Saúde, impedindo que novos pacientes possam ser realocados.

De acordo com o diretor da Secretaria de Saúde, Jorge de Lucca, no momento do agendamento os funcionários reforçam para que os pacientes sempre avisem quando forem faltar, para que haja fluxo no atendimento e outros pacientes sejam chamados para ocupar o horário que ficou livre. “Caso o paciente tenha dúvida sobre o dia em que ele marcou a consulta ou perdeu o comprovante do agendamento, é só ligar na UBS para verificar qual é a data correta”, afirmou.

Quando o paciente falta sem avisar, o  médico acaba ficando ocioso. "Clínicos gerais, ginecologistas e pediatras, que poderiam estar com a agenda completa, deixam de fazer atendimentos quando o paciente falta. O ideal é que todos os atendimentos sejam feitos e que esse índice possa ser reduzido”, disse Helena.

A colaboração e conscientização dos mroadores é de extrema importância para que o resultado final seja satisfatório para ambos os lados. “O não comparecimento acarreta prejuízos não apenas ao pacientes, que terão de agendar outra consulta, mas também ao médico e aos outros pacientes que poderiam ter seu atendimento antecipado”, alertou Jorge.