Medo de Dirigir

Medo de Dirigir

Com a correria do dia a dia dirigir um veículo tornou-se uma necessidade e o não dirigir promove discriminação e desrespeito pelo meio social, e até familiar. Entrar no carro, dar partida, engatar a marcha e dirigir até o trabalho, supermercado, shopping e padaria é um hábito comum para muitas pessoas. Porém, o que é habitual para essas pessoas é uma aflição para outras.
O medo de dirigir é comum para muitas pessoas e acomete homens e mulheres que acabam vivendo dependentes e com privações.
O medo é um sentimento necessário e protetor, porém quando sentimos que somos incapazes de realizar ou de enfrentar, o medo atua de forma negativa, bloqueado nosso comportamento.
Por que as pessoas têm o medo de dirigir?
Existe o medo pautado em uma situação real vivenciada como por exemplo um acidente ou um evento traumático que despertou esse sentimento e permanece com o passar do tempo e o medo imaginário, consequência de pensamentos e imaginações de tragédias ou desastres relacionados  a utilização de carros, motos, ônibus ou outros meios de transportes.
Muitas vezes a pessoa possui habilitação, mas não dirigi. Por vergonha das pessoas, algumas inventam desculpas para evitar críticas como “esse carro é muito grande, não vai ter onde estacionar”, “prefiro andar, é mais saudável”, “prefiro ser acompanhante”. Esse comportamento fortalece o medo e com o tempo esse sentimento aumenta de intensidade.
O que é importante para enfrentar esse medo? O primeiro passo é assumir e se determinar a voltar a dirigir, não sentir vergonha e procurar ajuda. Existem estabelecimentos que atuam especificamente com pessoas que têm o medo.
O processo de terapia é indicado, pois a pessoa compreende o porque sente o medo, como é o funcionamento do medo em nosso corpo, é acolhida, são desenvolvidas estratégias para controle de ansiedade e gradativamente começa a enfrentá-lo.
Dirigir não é só uma necessidade, é uma atividade para nosso bem estar e para nossa liberdade.

Maria Fernanda S. Palaro
CRP 06/104875
Psicóloga