Nove vereadores trocam de partido durante 'janela partidária'

Nove vereadores trocam de partido durante 'janela partidária'

Essa é a maior mudança já registrada no Legislativo valinhense, 53% dos atuais vereadores mudaram de partido
Essa é a maior mudança já registrada no Legislativo valinhense, 53% dos atuais vereadores mudaram de partido

Dos 17 vereadores Câmara Municipal de Valinhos, nove trocaram de partido durante a chamada “janela partidária”, período em que os parlamentares que pretendem concorrer à reeleição ou ao cargo de prefeito podem mudar de partidos sem perder os mandatos. O prazo para mudanças foi encerrado no último sábado, dia 4. 

Essa é a maior movimentação politico/partidária já registrada no Legislativo valinhense, quando 53% dos atuais legisladores optaram, com vistas às eleições municipais deste ano, mudar de legenda partidária. As mudanças partidárias também provocaram mudança na formação das forças partidárias no plenário da Câmara. O MDB que era a maior bancada, com 4 vereadores, passa a ter 3; o PSDB, continua com 3 vereadores, o DEM mantém dois; o Podemos 2; PTB 2; PDT 2; Cidadania 1; Democracia Cristã 1 e PSD um vereador.

Com a mudança, passam a ter representação no Legislativo o PTB, o Podemos, o PSD e o DC. Já o PV, a Rede, o Progressistas e o PSB perdem cadeira com a saída de parlamentares.

Veja quais foram as mudanças:

Edson Secafim – sai do Progressistas e se filia ao PTB

Henrique Conti – sai do PV e se filia ao PTB

Mayr – sai do PV e se filia ao Podemos

Kiko Beloni – sai do PSB e se filia ao Podemos

Giba – sai do MDB e se filia ao PDT

César Rocha – sai da Rede e se filia ao DC (Democracia Cristã)

André Amaral – sai do PSDB e se filia ao PSD

Mônica Morandi – sai do PDT e se filia ao MD

Roberson Costalonga Salame – sai do MDB e se filia ao PSDB

Além dos vereadores citados, o suplente José Aparecido Aguiar – que ocupava uma cadeira no Legislativo até a última sexta-feira, dia 3, também confirmou sua mudança do PSDB para o PRTB.

Janela Partidária

Ao longo do mandato, vereadores não podem mudar de partido sem justa causa, sob pena de perder o cargo. A janela partidária – que teve início no dia 5 de março – é o único período em que essa troca é permitida sem justificativa. Ela é aberta em todos os anos eleitorais e se encerra seis meses antes da realização do primeiro turno do pleito, marcado para 4 de outubro.

Comunicado aos partidos políticos e interessados

No dia 27 de março, o Tribunal Regional Eleitoral (TER-SP) emitiu comunicado afirmando que devido à pandemia do coronavírus (COVID – 19) as anotações dos órgãos partidários, encaminhadas nos termos do art. 35 da Resolução - TSE nº 23.571/2018, estão sendo feitas em prazo maior que o usual.

Em conformidade com o cronograma estabelecido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), os partidos políticos têm prazo até o dia 15 de abril de 2020 para encaminhar à Justiça Eleitoral as respectivas listas de filiados. O TER destaca, contudo, que este prazo não deve ser confundido com o prazo limite para filiação partidária, que se encerrou no último dia 4 de abril.