Lava Jato cumpre mandado de busca e apreensão

Lava Jato cumpre mandado de busca e apreensão

Felipe Rau/Estadão

A 26ª fase da Operação Lava Jato teve como desdobramento um dos 67 mandados de busca e apreensão em Valinhos, no condomínio de alto padrão Village Itamaracá, na manhã da última terça-feira, 22. O alvo foi Paulo Sérgio da Rocha Soares, um dos responsáveis pela instalação de Drousys, sistema tecnológico utilizado para “comunicações seguras” na Odebrecht.
“A diligência é necessária para apreender a prova de utilização do sistema para ocultar comunicações sobre as atividades ilícitas do grupo e possivelmente recuperar mensagens de interesse para a investigação”, afirmaram os procuradores responsáveis da Operação Xepa.
Esta operação é consequência da 23ª fase, a Acarajé. Os mandados judiciais nesta operação compõem 28 mandados de condução coercitiva, 11 mandados de prisão temporária, 4 mandados de prisão preventiva e 67 mandados de busca e apreensão.
Cerca de 380 policiais federais cumprem 110 ordens judiciais nos estados de São Paulo, em Brasília, Pernambuco, Piauí, Minas Gerais, no Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e na Bahia.
Segundo a Polícia Federal, um material indicou a realização de entregas de recursos em espécie a terceiros indicados por altos executivos do Grupo Odebrecht nas mais variadas áreas de atuação do conglomerado da empresa.
“Há indícios concretos de que o Grupo Odebrecht se utilizou de operadores financeiros ligados ao mercado paralelo de câmbio para a disponibilização de tais recursos”, diz a PF.