Valores de material escolar pode variar mais de 20% entre lojas da cidade

Valores de material escolar pode variar mais de 20% entre lojas da cidade

Diferença de preços de alguns itens podem chegar a 58%
Diferença de preços de alguns itens podem chegar a 58%

Levantamento realizado pela Folha de Valinhos em lojas e papelarias da cidade aponta uma gritante variação de preços entre itens básicos das listas de material escolar. No quadro, enumeramos sete itens da lista de alunos do quinto ano de escolas particulares. O valor de um caderno de 48 folhas de brochura com capa dura, por exemplo, pode ir de R$ 4,10 a R$ 6,50, dependendo do local escolhido para a compra, o que representa uma variação de aproximadamente 58% no valor do item.

Para garantir uma compra vantajosa, pais e responsáveis pelos alunos afirmam que o primeiro passo é solicitar a cotação da lista completa de materiais. “Não é porque um caderno custa mais caro em uma loja que necessariamente a lista toda vai ser mais cara ali. Às vezes, um item acaba compensando o outro. Por isso, sempre peço a cotação da lista completa com antecedência e só depois de ter os valores em mãos é que faço a compra”, afirma a publicitária Vanessa Rocha, de 31 anos.

O fato descrito por Vanessa pode ser conferido no levantamento realizado pela Folha. Apesar de alguns itens aparecerem com o preço mais baixo nas lojas 2 e 3, o valor total dos sete itens pesquisados é menor na Loja 1.

De acordo com a diretora do Procon de Valinhos, Vilma Albuquerque, é preciso pesquisar, porque a variação de preços costuma ser grande em produtos iguais e similares. “Os consumidores devem sempre solicitar nota fiscal e garantia, quando for o caso. Os preços dos produtos precisam estar visíveis, assim como o Código de Defesa do Consumidor e o número do telefone do Procon, (19) 3871-1223. Estabelecimentos confiáveis respeitam as regras do Código de Defesa do Consumidor. Se houver diferença de preço, deve prevalecer o de menor valor e não existe valor mínimo da compra pelo cartão bancário”, orienta.

Ainda segundo o Procon, os principais apontamentos dos consumidores após as compras são relativos a preço e qualidade do material. “É necessário ter atenção para verificar se os itens estão de acordo com as normas de segurança vigentes no País, com os devidos selos, como o do Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia)”, finaliza.

+ Fotos: