Valinhos Decreta Situação de Emergência Hídrica

Valinhos Decreta Situação de Emergência Hídrica

Barragem do Moinho Velho: nível de reservação em 30%
Barragem do Moinho Velho: nível de reservação em 30%

Em decreto publicado nesta segunda-feira, dia 14, no Boletim Municipal, a Prefeitura de Valinhos a Prefeitura decretou situação de emergência no abastecimento público do município em função da longa estiagem, alta do consumo de água, intenso calor e interrupções de energia elétrica no ponto de captação, no Rio Atibaia.

A Situação de Emergência Hidrica atendeu solicitação do Departamento de Águas e Esgotos de Valinhos (DAEV) para evitar desabastecimento aos moradores. O Decreto permite contratação emergencial de serviços, produtos e materiais necessários, com menos burocracia, e adoção de medidas de restrição ao uso de água tratada para finalidades não essenciais.

O DAEV informa que não há previsão de racionamento de água no município, mas pede que população use a água com responsabilidade. De acordo com texto divulgado pela Departamento de Comunicação da Prefeiturta o DAEV está retirando 100% do total outorgado do Rio Atibaia. Mas, por causa da estiagem, os reservatórios estão com baixos índices de reservação.

A Barragem João Antunes dos Santos Vinhedo está com apenas 2% de reservação e a Barragem Moinho Velho, 30%. O Reservatório Santana dos Cuiabanos tem índice de 95% de reservação e a Barragem das Figueiras, composta por quatro lagoas, incluindo a do Centro de Lazer do Trabalhador (CLT), está com 90%.  Os 21 poços profundos de Valinhos estão sendo utilizados em 70% da outorga.

O DAEV esperava recuperação dos reservatórios na semana passada, que não ocorreu devido ao alto consumo por causa das temperaturas elevadas e à falta de chuvas, somados à instabilidade da rede elétrica nas últimas semanas no ponto de captação.

Este ano choveu menos da metade da média histórica em Valinhos. Nos últimos seis meses, foi registrado em Valinhos 189 milímetros de chuva, quando a média histórica para o período é de 403 milímetros.
Nas últimas semanas, a CPFL Paulista está interrompendo o fornecimento de energia elétrica no ponto de captação de água para manutenção na rede e novas interrupções estão previstas.

Embora a queda de energia ocorra por alguns segundos, chamada de “pisca”, o religamento de todo o sistema de captação do DAEV leva em média três horas, o que interfere significativamente na capacidade de captação de água.

O DAEV reforça o alerta para que a população use água de forma consciente e evite desperdício de qualquer natureza, como lavar calçadas e carros.