Rede Municipal de Ensino começa a retomar atividades à partir de hoje, dia 27

Rede Municipal de Ensino começa a retomar atividades à partir de hoje, dia 27

CEMEIs reiniciam aulas na segunda-feira e EMEBs no dia 6 de fevereiro
CEMEIs reiniciam aulas na segunda-feira e EMEBs no dia 6 de fevereiro

A Rede Municipal de Ensino de Valinhos dá início ao ano letivo de 2020 a partir da segunda-feira (27). De acordo com a Secretaria de Educação, toda a estrutura da Rede, composta por 52 escolas, entre Centros Municipais de Ensino Infantil (CEMEIs) e Escolas Municipais do Ensino Básico (EMEBs), corpo docente de 800 professores e quase 12 mil alunos retomam as atividades escolares.

Segundo a Secretaria, as crianças matriculadas nas oito creches municipais e nas nove creches contratadas dão início ao período de adaptação que vai até o dia 31 de janeiro. As creches entram em ritmo normal a partir do dia 3 de fevereiro.

Já as 40 EMEBs retomam as atividades em classe no próximo dia 6 de fevereiro. Antes, professores, coordenadores e diretores participam de reunião de planejamento (3), coordenação pedagógica (4) e reunião de pais (5).

As aulas para os alunos do curso de Educação de Jovens e Adultos (EJA) serão retomadas no dia 5 de fevereiro para turmas do fundamental 1 e 2. A partir deste ano, a EJA, que até então funcionava na EMEB Governador Orestes Quércia, terá suas atividades na EMEB  Cecília Meirelles, também no Jardim Paraíso.

A EJA destina-se àqueles que não tiveram acesso à escolarização na idade própria ou cujos estudos não tiveram continuidade no Ensino Fundamental, com características adequadas às suas necessidades e disponibilidades.

O secretário de Educação, Zeno Ruedell, explicou que a Secretaria de Educação aproveitou o período de férias para promover reparos em algumas unidades escolares.

“Nossa equipe de manutenção realizou reparos básicos na rede elétrica e hidráulica, corte de mato e a poda de árvores. Algumas unidades foram inteiramente pintadas, parceria da Prefeitura com o governo do Estado, no Projeto Escola Mais Bonita, que usa mão de obra dos reeducandos do sistema prisional”, explicou.