Via Rápida recebe 10 pedidos de abertura de empresas por dia

Via Rápida recebe 10 pedidos de abertura de empresas por dia

O Via Rápida Empresa começou a operar em Valinhos no dia 10 deste mês sob a orientação das Secretarias de Desenvolvimento Econômico e da Fazend
O Via Rápida Empresa começou a operar em Valinhos no dia 10 deste mês sob a orientação das Secretarias de Desenvolvimento Econômico e da Fazend

Em uma semana de operação, o Sistema Via Rápida Empresa (VRE) recebeu em média, por dia, 10 pedidos de abertura de empresas na cidade. A vantagem da plataforma online é seu funcionamento 24 horas, agilidade no processo e acompanhamento do pedido pelo interessado. As solicitações foram atendias em dois dias. Já está em teste a segunda fase do sistema.

O prefeito Orestes Previtale afirmou que o sistema é uma importante ação da Administração Municipal para agilizar o atendimento a empreendedores. "É uma das medidas que adotamos na Administração para estimular o empreendedorismo e a geração de renda na cidade. Sabemos que inovação, trabalho e produtividade são a força do desenvolvimento", disse.

O Via Rápida Empresa começou a operar em Valinhos no dia 10 deste mês sob a orientação das Secretarias de Desenvolvimento Econômico e da Fazenda. “A plataforma foi bem aceita e o principal objetivo é simplificar os processos, desde a abertura até a emissão de licenças”, disse o secretário de Desenvolvimento Econômico, Rodrigo Fagnani Popó.

Na fase inicial de implantação do sistema, estão excluídas as atividades de profissional liberal (autônomo), microempreendedor individual (MEI) e sociedade simples, em que o registro é feito em cartório. “Nessas situações, deve ser apresentada Ficha de Consulta, com o pagamento da taxa de R$ 78,15 na Secretaria”, explicou o diretor da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Luís Gustavo Previtali. O MEI é isento de qualquer tipo de taxa.

No caso de atividades de alto risco, o lançamento ocorre no Sistema do Via Rápida Empresa, mas o empresário deve abrir processo físico para a análise da viabilidade. Também é necessário o recolhimento da taxa de protocolo da Ficha de Consulta (R$ 78,15) e a apresentação dos documentos na Secretaria de Desenvolvimento Econômico.

A disponibilização dos dados pode ser feita a qualquer hora, já a liberação online da validação e licenciamento ocorrem no período de atendimento da Prefeitura, das 8h às 17h, acompanhada por servidores públicos da Prefeitura.

O empresário terá, no mesmo certificado, o alvará municipal e a análise de viabilidade de localização de forma eletrônica, não sendo necessário que o cidadão se desloque para isso.

Conduzido pela Junta Comercial do Estado de São Paulo (Jucesp), o serviço integra Secretarias da Fazenda e de Desenvolvimento Econômico, além da Vigilância Sanitária, Corpo de Bombeiros, Cetesb e Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo. O antigo sistema levava, em média, 50 dias para abertura do negócio, uma vez que era necessário peregrinar atrás da liberação de documentos emitidos pelos órgãos citados.

Segundo informações da Jucesp, está em teste a fase 2 do VRE, com previsão de implantação nos próximos meses, com a inclusão das MEIs e melhorias na navegabilidade.