Prolongamento da Joaquim Alves Corrêa avança com aterro no Pacaembu

Prolongamento da Joaquim Alves Corrêa avança com aterro no Pacaembu

Etapa inclui aterramento, terraplanagem e compactação da terra para nivelar o trecho, e pavimentação; serão utilizados 7,7 mil metros cúbicos de terra
Etapa inclui aterramento, terraplanagem e compactação da terra para nivelar o trecho, e pavimentação; serão utilizados 7,7 mil metros cúbicos de terra

A obra de prolongamento da Avenida Joaquim Alves Corrêa avança com o aterramento da área localizada no Jardim Pacaembu, próximo ao Hospital e Maternidade Galileo. A previsão é de concluir em 15 dias essa etapa, que inclui terraplanagem e compactação das terras. Dos 7,7 mil metros cúbicos de terra necessáris para nivelar o trecho, 4 mil metros cúbicos já foram utilizados, 480 viagens de caminhão. A fase seguinte é de pavimentação.

A expectativa é de que as obras de prolongamento sejam entregues até o final deste ano. “No meu entendimento, estamos na metade da obra”, disse o secretário de Planejamento e Meio Ambiente, Pedro Inácio Medeiros. Segundo ele, o aterramento do trecho no Jardim Pacaembu é a parte mais crítica de todo o projeto de prolongamento, porque havia um grande vão a ser nivelado.

Na última sexta-feira, dia 7, o trabalho era realizado com apoio de máquinas como a carregadeira Volvo L70D, a compactadora Dynapac Aquiles Ca250 e a plaina niveladora Catepillar. Essa fase inclui implantação de aduelas no curso d’água, concluída no final do mês passado. Falta realizar a obra para entrada e saída da água no complemento às aduelas.

Segundo o secretário, o prolongamento da Joaquim Alves Corrêa é de grande importância para a cidade e muito aguardado pela população. “O prolongamento vai contribuir muito para a mobilidade urbana de nossa cidade”, disse. Ele afirmou que o projeto vai garantir maior fluidez no deslocamento entre as cidades de Valinhos e Vinhedo, como rota alternativa à Rodovia dos Andrades, e também entre os bairros.

O projeto de prolongamento está avaliado em cerca de R$ 10 milhões. De acordo com o secretário, a obra está estimada em aproximadamente R$ 6 milhões e o restante será destinado ao pagamento de desapropriação de terras no trajeto da nova avenida. Parte dos recursos são de verbas obtidas com o leilão do P