Procon alerta sobre golpes de clonagem de cartão de crédito

Procon alerta sobre golpes de clonagem de cartão de crédito

O Procon de Valinhos registrou aumento no número de casos de estelionato envolvendo clonagem de cartões de crédito. Entre maio e agosto foram registradas 8 reclamações na cidade da prática que ficou conhecida em todo o País como Golpe do Motoboy.

Mas a diretora do Procon, Perla Gonçalves Couto, estima que o número de casos pode ser maior. Segundo ela, as oito reclamações são de vítimas que não conseguiram resolver o problema diretamente com as instituições financeiras ou preferiram fazer o registro diretamente no órgão.

Como funciona

No golpe, criminosos ligam para a vítima dizendo que são do banco, que o cartão da vítima foi clonado e utilizado em uma compra indevida. O criminoso pede que a vítima entre em contato com a instituição bancária ou operadora do cartão de crédito, pelo número do telefone no verso do cartão.

Entretanto, o telefone é hackeado para que a ligação feita pela vítima seja novamente direcionada aos estelionatários. “O criminoso do outro lado da linha solicita os dados do cartão, senha e até número de segurança. A vítima fornece porque se sente segura por ter realizado a ligação para o número da instituição bancária. Aí já é tarde demais”, explica a diretora do Procon.

Com todos os dados, o criminoso orienta a vítima ainda a entregar o cartão, ou mais de um se tiver, a um motoboy que será enviado pelo banco ao seu endereço. “De posse dos cartões e dados, os criminosos passam rapidamente a realizar saques, transferências, compras, lesando o quanto puderem a vítima durante o período em que o cartão, ou cartões, estiver ativo”, conta a diretora.

A fiscal de Proteção ao Consumidor, Juliana de Barros Galvão Castro Lima, destaca que o aumento do número de casos em Valinhos registrados pelo Procon ocorre na pandemia, quando os moradores evitam sair de casa para ir pessoalmente às agências bancárias.

“Os criminosos chegam a orientar as vítimas que evitem sair de casa para se proteger do coronavírus, por isso mandam um suposto motoboy resolver a fictícia clonagem”, disse Juliana.

A fiscal explica que o estelionato ficou conhecido no País como “Golpe do Motoboy”. “O crime é efetivado no momento em que o suposto motoboy vai à residência buscar o cartão alegando que será inutilizado pelo banco”, disse Juliana.

O Procon solicita aos consumidores que tomem os seguintes cuidados:

- Em caso de recebimento de ligações identificadas como sendo de bancos ou operadores de cartões de crédito, informando o uso indevido de cartão de crédito e solicitando contato pelo número de telefone que consta no verso, jamais faça a ligação e não use o mesmo aparelho telefônico em que recebeu a chamada;

- Contate o banco ou a operadora do cartão de outro aparelho telefônico para se informar. Caso confirme que o cartão não foi clonado e que se trata de fraude, solicite imediatamente o cancelamento do cartão. Se possível, vá pessoalmente à agência bancária para efetivar o cancelamento;

- Jamais entregue o cartão a outras pessoas. O cancelamento do cartão é feito pela instituição bancária ou operadora do cartão, mas é o próprio titular que providencia a destruição e o descarte do cartão fraudado;

- Jamais informe a senha do cartão a terceiros. Ela é a segurança de que não haverá uso indevido e a divulgação isenta o banco de fazer a restituição de qualquer quantia desviada da conta ou utilizada em compras não reconhecidas pelo titular;

- Após o cancelamento do cartão, dirija-se à Delegacia de Polícia para elaboração de um Boletim de Ocorrência ou use o sistema de registro on-line da Polícia Civil pela internet.