Prefeitura investe em jogos educacionais para desenvolvimento estudantil

Prefeitura investe em jogos educacionais para desenvolvimento estudantil

Projeto atenderá desde a Educação Infantil (Infantil I e II) até o Ensino Fundamental  de 1º ao 9º ano e Educação de Jovens e Adultos

A Secretaria de Educação de Valinhos, inicia o ano letivo de 2022 com três projetos educacionais, visando ao reforço e à complementação da aprendizagem dos alunos da Rede Municipal de Ensino. Entre eles, está o projeto MindLab, que leva o mesmo nome da empresa desenvolvedora. A metodologia é aplicada por meio de jogos de raciocínio e estratégias diversas, para desenvolvimento de habilidades socioemocionais, de raciocínio lógico matemático, de coordenação motora, de linguagem, de leitura, entre outras.

Desenvolvido pelo Programa MenteInovadora, o MindLab será utilizado desde a Educação Infantil (Infantil I e II) até o Ensino Fundamental  de 1º ao 9º ano e Educação de Jovens e Adultos. “A utilização do material será definida em planejamento, atendendo a faixa etária na qual  o aluno pertence, garantindo a prática pedagógica e a mediação entre aluno e professor”, detalha a prefeita Capitã Lucimara Godoy.

Segundo o secretário da Educação, Cleber Magdalena, o material apresenta um formato de trabalho prático, pelos jogos. “Tudo o que o aluno já sabe e o que precisará aprender para se desenvolver integralmente, inclusive como futuro cidadão, tendo desafios a serem vencidos durante as aulas, que consolidarão as aprendizagens”, explica o secretário. O foco é na capacidade de resolver problemas, aprender a trabalhar em equipe, argumentar, defender seu ponto de vista, respeitar o outro e ser crítico em relação à sociedade em que vive. 

Mindlab é uma metodologia educacional, fundada em 1994 em Israel e chegou ao Brasil em 2006. No Brasil, a metodologia é desenvolvida pela empresa brasileira que leva o mesmo nome. É líder mundial em pesquisa e desenvolvimento de tecnologias educacionais inovadoras para o aprimoramento de habilidades e competências cognitivas, sociais, emocionais e éticas.

Segundo a prefeita, a empresa é parceira de mais de mil instituições de ensino do setor público e privado no Brasil e conta com cerca de 20 mil professores certificados para aplicação de suas metodologias, em 17 estados. Com resultados comprovados em mais de 20 países ao longo de mais de 20 anos, a metodologia Mind Lab atende milhões de alunos, sendo reconhecida e apoiada por importantes instituições nacionais e internacionais.

O projeto chega a Valinhos pelo Programa MenteInovadora, que utiliza jogos de raciocínio em aulas dinâmicas com a mediação de professores capacitados. “Tem resultados comprovados no desenvolvimento cognitivo e sócio emocional de alunos do ensino infantil ao pré-vestibular”, ressalta o secretário. Segundo ele, os jogos estimulam os alunos a experimentar em um contexto controlado situações da vida real, contribuindo para conferir significado ao aprendizado e exercitando habilidades como a empatia, resiliência, capacidade analítica, equilíbrio emocional e o trabalho em equipe.

“Esta metodologia é utilizada em mais de 20 países, tais como Austrália, China, Espanha, Estados Unidos, Itália, Japão e Reino Unido e já atendeu milhões de alunos, garantida e apoiada por importantes instituições nacionais e internacionais, como o Instituto Inade e a Universidade Yale”, enaltece o secretário.

Outros projetos
Segundo o secretário, a cidade recebe ainda mais dois projetos, o Majog e Caixa Literária.

O Majog visa ao desenvolvimento do raciocínio lógico matemático, das argumentações, das resoluções de problemas, dos cálculos são imprescindíveis para a vida em sociedade e devem ser ensinadas no ambiente escolar e trabalhadas, além deste. Nas aulas de matemática, os jogos ajudam a criar contextos de aprendizagem mais significativos e lúdicos, facilitando a aprendizagem dos números.

A ideia é partir de uma situação reconhecida pelas crianças como lúdica e desafiadora, e explorá-la numa sequência de atividades pensada para propor problemas graduais aos alunos de forma que estes possam identificar os saberes e recursos que põem em ação ao jogar, compreendendo-os como conhecimentos e estratégias da matemática, discutindo como melhor defini-los e elencando ao final quais as soluções podem ser mais adequadas até poder usar todas estas aprendizagens em contextos independentes do jogo, aprendendo, com isso, a matemática propriamente dita.

A intenção com a aquisição do programa Majog é apresentar uma proposta didática que subsidie o trabalho docente com jogos, de forma que estes possam servir de estratégia para a construção de um contexto favorável para aprender conteúdos matemáticos, através de uma ação pedagógica significativa.

Já a Caixa Literária trabalha com as habilidades referentes à leitura e escrita.

Uma das dificuldades detectadas com o distanciamento do espaço escolar foi em relação ao processo de alfabetização, prejudicando o desenvolvimento das habilidades referentes à leitura e escrita. 

É fundamental que a criança reconheça sua língua materna e construa por meio dela sua própria identidade, reconhecendo assim a comunidade da qual faz parte. Dessa forma, se fez necessária a aquisição de livros diversos de literatura infantil e infanto juvenil atendendo diferentes faixas etárias, de acordo com o ano escolar em que o aluno está frequentando, para incentivá-los e inseri-los por meio de projetos e da prática diária de sala de aula no mundo da leitura e da descoberta que esta proporciona.

O trabalho com literatura contribui não só para o aprimoramento do leitor literário, mas também para uma formação mais humanizada, mais consciente tanto do indivíduo como do cidadão que está sendo preparado para atuar de forma adulta na sociedade. Porém, tais leituras deverão ser acompanhadas da mediação do professor e de formação prévia para utilização de material tão rico da literatura brasileira e estrangeira.