Prefeitura debate revitalização da Lagoa Cambará com moradores

Prefeitura debate revitalização da Lagoa Cambará com moradores

Prefeitura de Valinhos

Obras foram iniciadas em 13 de agosto; projeto inclui paisagismo, pista de caminhada e ilha
Obras foram iniciadas em 13 de agosto; projeto inclui paisagismo, pista de caminhada e ilha

A Prefeitura de Valinhos promoveu uma reunião com representantes da Associação de Moradores do Country Club para debater as obras e o processo de desassoreamento da Lagoa do Cambará. O encontro aconteceu no sábado (5), com participação do prefeito Orestes Previtale Júnior, acompanhado do secretário de Planejamento e Meio Ambiente, Pedro Medeiros, e do presidente do Departamento de Águas e Esgotos de Valinhos (DAEV), Ricardo Gardin.

A reunião aconteceu no Centro Comunitário do bairro. O prefeito explicou que o desassoreamento é uma reivindicação antiga dos moradores e há decisão judicial para que a obra seja feita. Orestes alegou que o projeto não será apenas de desassoreamento, mas serão realizadas obras no entorno para transformar o local em uma área de lazer.

O projeto também está sendo executado para que a lagoa não volte a ser aterrada. “O local será transformado num grande e bonito espaço de lazer para todos os moradores da região. Não se trata apenas de realizar o desassoreamento e o paisagismo. As obras, que seguem a determinação de Justiça na questão ambiental, precisam também ser estendidas às ruas próximas”, explicou.

O prefeito destacou a importância do diálogo entre Administração e moradores. “Soubemos que há dúvidas sobre o que está sendo feito, mas posso garantir que as obras estão seguindo um projeto que obteve licenciamento ambiental e o que determinou a Justiça no que se refere à recuperação da Lagoa. É importante apresentar isso para vocês, que são os mais interessados, e ouvir também sugestões”, disse.

O presidente da Associação de Moradores do Country Club, Térbio José Brandão Câmara, afirmou que a recuperação da lagoa é importante para o bairro, pois sua contribuição para o lençol freático é de grande. “Isso será bom para todos nós, além de nossos imóveis serem valorizados, o bairro irá ganhar uma importante área de lazer”, disse.

Obras

As obras de desassoreamento foram iniciadas no dia 13 de agosto. Segundo o Secretário de Planejamento e Meio Ambiente, Pedro Medeiros,  foram realizadas 812 viagens de caminhão e retirados 7.180 metros cúbicos de material. Até o final das obras, serão retiradosserão quase 15 mil metros cúbicos.

“A maior parte do material que obstruía a Lagoa já foi retirada e estamos acertando os taludes para o recebimento da grama. O custo desta etapa é de R$ 194 mil”, explicou. Medeiros destacou que, após o termino dessa etapa, a capacidade de armazenamento de água e a contribuição para o lençol freático será muito grande.

“O desassoreamento era necessário. Agora entramos em outra etapa, que é a implantação do projeto paisagístico e a pavimentação das ruas”, concluiu. Para a realização dessa fase, haverá participação dos moradores, pois a pavimentação só pode ser realizada com a divisão dos custos da obra, orçada em aproximadamente R$ 1,3 milhão.

A Prefeitura custeia 50% e os demais 50% são divididos entre os moradores, de acordo com a medida da frente de seu lote (testada). “Já temos alguns orçamentos a Associação pesquisou valores dessa obra, que será importante para que a Lagoa não volte a ser assoreada”, disse Medeiros.

O presidente do DAEV, André Gardin, retomou a explanação do projeto, para falar das obras que estão sendo realizadas pelo Departamento, como a pista de caminhada e a construção de uma ilha no centro da lagoa. “Vai ser realizado agora o levantamento planaltimetrico das ruas do entorno para o projeto de pavimentação”, explicou.