Núcleo de Atendimento à Educação Especial ressalta compromisso

Núcleo de Atendimento à Educação Especial ressalta compromisso

Em Valinhos, na Rede Municipal de Ensino, o Núcleo de Atendimento à Educação Especial (NAEE) tem tido ações importantes e conquistas para a inclusão, sobretudo, na rede pública de ensino, com foco em escolas mais humanizadas.

O professor Jony Anderson de Oliveira, que é deficiente visual e especialista do Núcleo, ressalta o quanto o trabalho depende do envolvimento de todos. “O NAEE convida você a refletir sobre o tema e a vir junto conosco em busca do aperfeiçoamento das ações em nossas unidades escolares para a efetivação  de uma escola inclusiva de fato. Uma escola na qual, acima do conhecimento acadêmico, além das condições econômicas da sociedade, possa, de fato, realizar a humanização de que tanto precisam nossas crianças com deficiência e de que tanto precisa nosso país”, explica.

Na terça-feira, dia 20, a prefeita Lucimara Godoy assinou o decreto n° 10.952, que prevê a criação da Carteira de Identificação da Pessoa com Transtorno do Espectro de Autista (CIPTEA), documento que vai garantir atenção integral, pronto atendimento e atendimento prioritário a esses munícipes nos serviços públicos e privados. “A regulamentação dessa Lei é mais um passo importante na garantia dos direitos das pessoas com deficiência em nosso município, sobretudo neste dia tão importante de luta por igualdade, respeito e inclusão”, destaca a prefeita.

O professor Jony, otimista, considera a data digna de comemoração. “Hoje nosso atendimento busca se aperfeiçoar a todo instante. Claro que necessitamos de melhorias e estas estão sempre em constante implementação. Quanto a se podemos comemorar algo, sim! Levando em consideração que hoje temos a grata oportunidade de ter todos os alunos com deficiência presentes em nossas escolas é por si só um fato que merece ser comemorado”, avalia o professor, que atua na rede municipal há mais de três anos e 16 no ensino superior na área de educação especial e inclusiva.

Em sua opinião, a rede municipal se desafia a se tornar cada vez mais inclusiva. “Dentro do conceito de inclusão, sim, podemos dizer que somos inclusivos, pois, não fazemos distinção de nenhum gênero”, afirma. Segundo ele, a história mostra que as pessoas com deficiências eram postas às margens sociais. “ Com o passar do tempo e com a abnegação de muitos tais barreiras foram sendo quebradas e hoje muitas destas pessoas possuem a possibilidade de, assim como os demais, realizarem seus projetos de vida e contribuírem com sua produtividade para a sociedade”, acrescenta.
 
Finalidade
O NAEE tem como principal finalidade atuar junto com as unidades escolares para dirimir eventuais dificuldades no processo de inclusão dos alunos com deficiência matriculados na rede. Atua também com um corpo técnico de professores da rede especialistas na área da educação especial e inclusiva propondo políticas públicas, trazendo e compartilhando informações, realizando a gestão de processos relacionados às questões ligadas à educação especial e apoiando professores quanto a possíveis dúvidas de como realizar um trabalho específico para um determinado aluno(a) ou determinada deficiência. Realiza ainda a promoção de ações que visam a quebra de barreiras que impossibilitem, de alguma forma, o processo de inclusão das pessoas com deficiência em nas escolas municipais, tais como, as barreiras atitudinais, metodológicas e/ou quaisquer outras que possam impedir o pleno exercício do direito à inclusão.