Comitê divulga dados sobre pessoas em situação de rua

Comitê divulga dados sobre pessoas em situação de rua

O 2º Levantamento de Pessoas em Situação de Rua em Valinhos foi divulgado sexta-feira (29), na Casa dos Conselhos, durante a 5ª Reunião do Comitê Municipal e Intersetorial de Monitoramento da Política Municipal para Inclusão de Pessoas em Situação de Rua. Nos dois primeiros meses de 2019, a Prefeitura coleciona uma série de resultados positivos, inclusive seis encaminhamentos para tratamento de dependência química.

Os números da Secretaria de Assistência Social apontam 79 pessoas em situação de rua no mês de fevereiro, 35 itinerantes ou artistas de rua e 44 pessoas que têm algum vínculo com a cidade, no aspecto familiar ou profissional.

A pesquisa apontou ainda que, das 79 pessoas, 67 são homens com idade entre 18 e 59 anos, quatro são idosos acima de 60 anos, todos de Valinhos, e oito são mulheres de 18 e 59 anos.

O presidente do Comitê, Alex Dias Marcondes, destacou que foram realizadas 339 abordagens sociais durante o mês de fevereiro  para coletar informações sobre escolaridade, profissão, origem e identificação. Muitos foram os resultados positivos. Segundo ele, nesse período, o Seas (Serviço Especializado em Abordagem Social) conseguiu realizar cinco recâmbios, oferecendo toda a estrutura para que o morador possa voltar para sua cidade ou para sua família, quando manifesta essa vontade.

Entre os meses de janeiro e fevereiro deste ano, o Seas também realizou seis encaminhamentos de pessoas em situação de rua para tratamento de dependência química e inseriu oito pessoas nos trabalhos de resgate dos vínculos familiares. Além disso, auxiliou 18 pessoas a elaborarem seu currículo para retornar ao mercado de trabalho e direcionou 30 pessoas para atendimento na Saúde.
Os casos de necessidade de atendimento médico estão sendo direcionados pelo Seas para a Unidade Básica de Atendimento (UBS) Vila Itália, que serve de porta de entrada para o encaminhamento para outras especialidades que sejam necessárias.

Segundo Marcondes, a maior dificuldade para a realização do trabalho envolvendo as pessoas em situação de rua é resistência em aderir ao acolhimento oferecido pelo Município e para o consequente retorno ao convívio social. “Tem muitos que não querem sair das ruas”, afirmou.

Conscientização

A reunião do Comitê contou com as participações do secretário de Segurança Pública e Cidadania, Coronel Carlos Roberto Prestes; do presidente do Conseg (Conselho de Segurança), José Luís Violante; da presidente da Câmara Municipal, Dalva Berto; do vereador André Amaral; de representantes da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), da OMEV (Ordem dos Ministros Evangélicos de Valinhos); de membros de movimentos sociais; servidores das secretárias de Assistência Social, Saúde e Educação.

Além do levantamento da Assistência Social, foram apresentadas informações das secretarias de Segurança Pública e Cidadania e da Saúde e do Conseg. Segundo o coronel Prestes em fevereiro foram registradas 19 chamadas para verificação de situações diversas envolvendo pessoas em situação de rua.

O secretário destacou que é necessário uma maior conscientização para que as pessoas denunciem ocorrências desse tipo, auxiliando o trabalho da GCM (Guarda Civil Municipal). A GCM pode ser acionada pelo 153 ou pelo telefone 3869-3535. O presidente do Comitê reforçou a importância das denúncias para a realização das chamadas rondas sociais.

O presidente do Conseg sugeriu uma visita dos membros do Comitê ao abrigo localizado no bairro Joapiranga. O local conta com 20 vagas de atendimento para o prazo de seis meses, podendo ser prorrogadas para mais seis meses. Para participar, é necessário que a pessoa faça adesão do projeto de saída das ruas, visando a promoção de autonomia e independência.

A visita ao abrigo ficou agendada para o próximo dia 26, às 8h30. Ainda foi estabelecido que os membros do Comitê enviem por email até o próximo dia 12 sugestões de pautas para nova reunião do órgão, que ocorrerá no próprio abrigo.