Comerciantes ainda estão preocupados com as poucas vendas

Comerciantes ainda estão preocupados com as poucas vendas

O Governo do Estado de São Paulo ampliou o horário de funcionamento do comércio não essencial que poderá atender presencialmente com 25% da capacidade no período entre 6 e 20h até o dia 9 de maio, coincidindo com o Dia das Mães, a segunda melhor data comercial.

As constantes mudanças de horários definidas conforme diretrizes do Plano SP prejudicaram o comércio local. Embora os comerciantes estejam animados com a reabertura e com a ampliação do horário, alguns comerciantes ainda temem que não será o suficiente para retornar à antiga rotina.
Mariane Signoreto, comerciante há 9 anos, afirma que o comércio vive o período mais dramático na pandemia. “É um momento muito difícil, de pouco movimento. As pessoas ainda têm muito medo de sair. Muitas pessoas estão preferindo as compras online”.

Dora Araújo, comerciante há 11 anos, comenta a situação do comércio, lembra do aspecto do desemprego e diz que já pensou em mudar de ramo profissional. “As vendas estão muito lentas. Desde que abriu ainda não melhorou. As pessoas estão com receio da situação. Também tem a questão do desemprego. Já pensei em mudar de atividade. Mas tenho medo. Precisamos acreditar”.

Uma comerciante que preferiu não se identificar também mencionou a impossibilidade de aumentar valores e prejudicar os consumidores e a falta de apoio do poder público. “A primeira semana foi boa. Depois piorou. Tivemos alta com fornecedores, mas não podemos repassar para nossos clientes. E em Valinhos não temos apoio de ninguém”.