Câmara aprova projeto que cria 470 novos cargos na área da Educação

Câmara aprova projeto que cria 470 novos cargos na área da Educação

Os vereadores aprovaram na sessão desta terça-feira, dia 21, projeto de lei encaminhado pela prefeita Capitã Lucimara (PSD), que cria novos cargos no quadro do magistério do município. Ao todo são 470 novos cargos, sendo a maior parte deles para Professor I (200 cargos). O aumento no quadro de professores é necessário para atender à demanda da rede municipal pelos próximos 10 anos.

Na mensagem que acompanha o projeto, a prefeita alega que a contratação de professores não será imediata. A previsão é que haja a contratação de 100 professores para os anos de 2022 e 2023. O restante seria chamado conforme as necessidades da Secretaria da Educação.

O vereador Alécio Cau (PDT) lamentou o fato de ainda não haver planejamento para a contratação imediata. “Ainda não está claro quantos professores serão efetivamente contratados ainda este ano. É um projeto importante, mas extremamente atrasado (...) A Câmara aprovou uma estrutura administrativa da prefeitura em dezembro do ano passado e isso não estava previsto. Seis meses depois estamos mexendo de novo na estrutura administrativa. Falta planejamento a longo prazo no nosso município”, criticou.

O vereador Alexandre Japa (PRTB) disse que há falta de professores na rede. “Recebo mensagem de pais de alunos que reclamam da falta de professores. A gente sempre cobra a Secretaria da Educação. Que isso seja o começo da melhoria na pasta da Educação e que a gente possa contribuir para que o próximo passo seja a melhoria da questão salarial dos professores também”, disse.

 

Mais Educação

Ainda na sessão, os vereadores aprovaram projeto de lei que autoriza a prefeita a abrir um crédito adicional suplementar no orçamento até o valor de R$ 3.852.000,00. Parte do valor será destinada para ampliação e reforma da CEMEI Emely Tofolo Machado e também contratação de cuidadores e intérpretes de Libras nas escolas.

O vereador Mayr (Podemos) comemorou a contratação de intérpretes. “Há tempos venho cobrando uma postura mais inclusiva do Executivo para que crianças e jovens com limitação auditiva não sejam prejudicados em seus estudos. Desde a administração passada, luto por isso”, discursou.

O vereador André Amaral (PSD) lembrou que a demanda por intérpretes e cuidadores é antiga. “Sairemos do modelo de contratação de estagiários e voltaremos ao modelo de cuidadores. O que peço é que a contratação desses cuidadores seja feita com bastante critério”, pontuou.