Viracopos e PF realizam simulado de ameaça de bomba no aeroporto

Viracopos e PF realizam simulado de ameaça de bomba no aeroporto

Clara Grassi/Viracopos

Treinamento durou aproximadamente três horas e sua realização está prevista no Regulamento Brasileiro da Aviação Civil
Treinamento durou aproximadamente três horas e sua realização está prevista no Regulamento Brasileiro da Aviação Civil

O Aeroporto Internacional de Viracopos e a Polícia Federal, que é responsável pela segurança aeroportuária, realizaram ontem (23/05) um Exercício Simulado de Ameaça de Bomba (ESAB), que durou aproximadamente três horas e aconteceu dentro do Centro de Consolidação de Mercadorias, localizado ao lado do terminal de passageiros. O treinamento contou com a participação do GATE (Grupo de Ações Táticas Especiais).

O local chegou a ser evacuado durante o exercício prático. O GATE foi acionado durante o exercício e utilizou um robô para identificar e remover o explosivo. O ESAB ocorre anualmente conforme previsto no RBAC (Regulamento Brasileiro da Aviação Civil) Nº 107, Emenda 02, no Programa Nacional Segurança da Aviação Civil Contra Atos de Interferência Ilícita (PNAVESEC) e no Programa de Segurança Aeroportuária (PSA) de Viracopos.

A reunião de abertura começou às 8h30 no auditório do Prédio Administrativo com uma palestra informativa sobre como agir ao encontrar objetos abandonados no aeroporto. O simulado de ameaça de bomba começou às 9h20 com a primeira ameaça feita por meio de um telefonema anônimo. Durante o treinamento, foram feitas outras duas ligações telefônicas do suposto criminoso para indicar a localização de dois artefatos explosivos.

Logo após a confirmação da ameaça e da localização de um dos possíveis explosivos, foi acionado o Centro de Gerenciamento de Crises (CGC), composto por representante da direção do aeroporto e Polícia Federal, entre outras autoridades. Como as ameaças ocorreram em uma área também controlada pela Anvisa, um representante deste órgão foi acionado para compor o CGC.   

A partir deste acionamento, o CGC se reuniu e começou a analisar a situação e a rastrear imagens do circuito interno de câmeras no aeroporto para encontrar pistas sobre a ocorrência.

Um dos artefatos explosivos foi localizado por volta das 9h56. Em seguida, foi iniciado o trabalho de identificação do suspeito por meio das mais de 800 câmeras de segurança do aeroporto. Com a localização do objeto suspeito, o GATE foi autorizado a entrar com o robô para verificar o explosivo.

O término do exercício ocorreu às 11h46 e foi considerado bem-sucedido pelo Controle de Qualidade AVSEC (Segurança da Aviação Civil Contra Atos de Interferência Ilícita) e pelas autoridades de segurança.

“Organizamos um ambiente próximo do real e conseguimos observar as reações comportamentais dos envolvidos em um ambiente de forte stress e avaliar o cumprimento dos procedimentos. O objetivo de exercitar as equipes em uma situação de risco foi alcançado com sucesso”, relatou a Assessora de Gestão de Qualidade e Experiência do Cliente de Viracopos, Daniela Fantinati, responsável pela organização do simulado.

Durante o exercício, foi acionada também a equipe médica do aeroporto com uma ambulância, além do apoio do Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Polícia Civil, EMDEC, Receita Federal, além do envolvimento de todas as Gerências de Viracopos.

Para o delegado chefe da Polícia Federal de Campinas, Edson Geraldo de Souza, que participou ativamente e coordenou o ESAB, o treinamento foi “excepcional” pela dedicação e pela organização de todos os envolvidos no simulado. Ele também destacou as oportunidades de melhorias para aperfeiçoamento dos procedimentos de segurança do aeroporto.