Unicamp Afro 2021 debate igualdade para o presente e o futuro

Unicamp Afro 2021 debate igualdade para o presente e o futuro

Para a programação completa, acompanhe a página da DeDH.

Aconteceu no último dia 10, no auditório do Instituto da Computação (IC), a cerimônia de abertura da Unicamp Afro 2021. Tendo como tema “Referência para pensar o presente e o futuro”, o evento contou com a presença da engenheira de computação e vereadora de Campinas Paolla Miguel (PT). Negra e em seu primeiro mandato, Paolla foi vítima de ataque racista na Câmara de Vereadores durante sessão do último dia 8 de novembro, quando defendia, na tribuna, o Conselho de Desenvolvimento e Participação da Comunidade Negra. A vereadora registrou um Boletim de Ocorrência pelos ataques que sofreu da parte de pessoas contrárias à criação do Conselho. Manifestações de apoio, com representantes de várias entidades sociais, foram realizadas na frente da Câmara de Vereadores de Campinas.

Todas as autoridades presentes na mesa de abertura do Unicamp Afro 2021 declararam apoio e solidariedade à vereadora, entre elas o reitor da Unicamp, Antonio José de Almeida Meirelles, a coordenadora geral, Maria Luiza Moretti, o reitor da Universidade Zumbi dos Palmares, José Vicente, e o promotor do Ministério Público do Trabalho, Rosivaldo da Cunha Oliveira.

Em seu discurso, Paolla parabenizou a Unicamp pela realização do evento e agradeceu as manifestações de solidariedade. Ela, que é presidente da Comissão de Defesa dos Direitos Humanos e Cidadania no Legislativo Municipal, destacou a importância do programa de cotas da Universidade. Para a parlamentar, tal programa tem possibilitado o ingresso de jovens da periferia em uma das melhores instituições do país, onde recebem ensino gratuito e de qualidade. “A Unicamp é exemplo para a região, exemplo que precisamos expandir para todo o Brasil”, disse. Antonio Meirelles. O reitor  informou à vereadora sobre as manifestações de solidariedade a ela, e de repúdio ao ataque, encaminhadas pelos integrantes da Câmara de Ensino Pesquisa e Extensão (CEPE) e Câmara de Administração (CAD) nas reuniões ocorridas na última terça-feira (9/11).

Para o reitor, a Unicamp tem um papel fundamental na promoção de justiça social, equidade racial e de gênero. “A Unicamp não tem se furtado à sua responsabilidade nesse tema. Além de promover eventos como o Unicamp Afro, desenvolvemos e fomentamos políticas efetivas pela igualdade. A Universidade repudia, em seu meio e como parte da sociedade, qualquer ato de violência como o sofrido pela vereadora Paolla”, ressaltou.

Para a coordenadora-geral, Maria Luiza, com esse evento a Unicamp convida sua comunidade e a sociedade como um todo ao debate sobre um tema de extrema relevância. Luiza destacou, ainda, a importância do empoderamento das mulheres. “Nós, mulheres, sabemos o quanto a sociedade é desigual, mas temos que observar que a mulher negra tem sido ainda mais atacada, entre todos os atos de discriminação”. Dirigindo-se a vereadora, Luiza disse “Mantenha sua força, sua luta, e saiba que juntas venceremos e alcançaremos uma sociedade que respeite a todas e todos”.

Troféu Raça Negra

Em seu discurso, o reitor da Universidade Zumbi dos Palmares, José Vicente, convidou a vereadora Paolla Miguel a receber o Troféu Raça Negra, honraria oferecida pela instituição a personalidades negras que propiciaram exemplos de determinação, trabalho e perseverança na construção de uma sociedade melhor. Vicente convidou o reitor da Unicamp e a coordenadora-geral para a cerimônia de entrega, a ser realizada na cidade de São Paulo. “O que aconteceu com a Paolla, infelizmente, é o Brasil real. Tem muito trabalho a ser feito para mudar essa realidade, e essa mudança tem acontecido pela educação. O que a Unicamp tem feito, nos últimos cinco anos, em favor da inclusão, do respeito e das oportunidades, é mais do que foi feito em 500 anos no Brasil”, apontou.

Participaram ainda da abertura do evento Fernando Antonio Santos Coelho, pró-reitor de Extensão e Cultura, Silvia Maria Santiago, diretora executiva de Direitos Humanos, Luciana Gonzaga Oliveira, presidente da Comissão Assessora de Diversidade Étnico-racial (Cader), Vitor Gonçalves da Silva, estudante de pós-graduação da Unicamp e integrante da Cader, Ademir Silva, representante da OAB-Campinas, e Moacir Benedito Pereira, representante da Associação Atlética Ponte Preta.

O Unicamp Afro 2021 é uma realização da Diretoria Executiva dos Direitos Humanos (DeDH), por meio da Comissão Assessora de Diversidade Étnico-Racial (Cader). Durante todo o mês de novembro, haverá uma série de atividades no formato remoto e presencial.

Para a programação completa, acompanhe a página da DeDH.

Assista o sarau “Preparando o território das atividades”, apresentado e mediado pela professora do Instituto de Artes da Unicamp Gina Aguilar, que aconteceu na terça-feira (9). Como convidados, estiveram presentes a pesquisadora e professora de canto Ana Clara Ferraz, o bailarino e coreógrafo Carlos Kiss e o artista teatral e estudante de artes cênicas Victor Lima.