Campinas deixa de usar leitos Covid no Hospital Metropolitano

Campinas deixa de usar leitos Covid no Hospital Metropolitano

G1 Campinas

 

No dia em que o governador de São Paulo anunciou um decreto para que hospitais não desmobilizem leitos criados para atender pacientes com Covid-19 e suspendam cirurgias eletivas, diante do aumento de casos e internações pela doença em todo o estado, Campinas (SP) deixou de usar as vagas de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e de enfermaria clínica contratadas junto ao Hospital Metropolitano.

Apesar disso, a Secretaria de Saúde informa que de maneira geral, leitos do SUS Municipal "não foram desativados e podem ser revertidos", e que assim como ocorre desde o início da pandemia, "todos os pacientes terão o atendimento garantido".

Bloqueio no Metropolitano
Em nota, a prefeitura informa que o bloqueio ocorre por cautela, uma vez que precisou fazer o pagamento dos serviços via depósito judicial e, sem garantias que o Hospital Metropolitano possa arcar com o atendimento sem o dinheiro, decidiu por não enviar mais pacientes à unidade e transferir aqueles que lá estavam.

Integrado à rede municipal de saúde em junho, como reforço no tratamento de pacientes com Covid-19 em Campinas, o uso do Hospital Metropolitano foi possível após liminar garantir que o repasse de verbas da prefeitura fosse utilizado para realização dos serviços, e não o pagamento de dívidas trabalhistas da unidade hospitalar.

Um despacho da prefeitura desta terça-feira (17), no entanto, informava à Coordenadoria de Regulação o bloqueio de leitos disponíveis no Metropolitano, impedindo novas internações e cancelando transferências na qual o paciente ainda não havia deixado a unidade de origem.

O informe aponta que naquela data, 13 pacientes permaneciam internados na Enfermaria Clínica Covid-19 e outros cinco em UTIs exclusivas para o tratamento do novo coronavírus.

Em nota, a Prefeitura informa que cumpriu uma determinação judicial para que o valor do contrato com a unidade fosse depositado em juízo e, por cautela, a Secretaria de Saúde fez o bloqueio dos leitos pelo receio de que a unidade não possa mais arcar com o contrato após o pagamento em juízo.

Veja a nota na íntegra:

"A Prefeitura Municipal de Campinas informa que, em relação ao Hospital Metropolitano, está cumprindo uma decisão da Justiça do Trabalho para que seja depositado em juízo o valor do contrato com a unidade.

O bloqueio de leitos e transferência dos pacientes – que teve início na quarta-feira, dia 18 de novembro – se deu por cautela da Secretaria Municipal de Saúde em razão da possibilidade de que o Hospital Metropolitano não possa mais arcar com o contrato após o pagamento em juízo.

Ontem foram transferidos 14 pacientes para leitos na Casa de Saúde e Hospital Ouro Verde. Outros quatro pacientes ainda estão no Hospital Metropolitano e serão encaminhados hoje para outras unidades."