Bolsonaro inaugura linha de pesquisa de laboratório em Campinas

Bolsonaro inaugura linha de pesquisa de laboratório em Campinas

G1 - Campinas

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) inaugurou nesta quarta-feira, dia 21 a primeira linha de pesquisa do Sirius, superlaboratório de luz síncrotron de 4ª geração instalado em Campinas (SP). Maior investimento da ciência brasileira, o acelerador de partículas prevê a montagem de 14 linhas de luz na 1ª fase, mas a conclusão dessa etapa em 2021 ainda depende da liberação de recursos pelo governo federal - veja mais abaixo. Depois da cerimônia, a comitiva presidencial pousou com dois helicópteros em Elias Fausto (SP), onde Bolsonaro lanchou em uma padaria.

Dizendo-se "apaixonado" pela estrutura do laboratório de Campinas, que visitou pela primeira vez e que já opera em caráter emergencial desde julho para auxiliar no combate à Covid-19, Bolsonaro projetou, apesar de citar dificuldade por recursos, a possibilidade da região se transformar em um Vale do Silício da Biotecnologia, já que deve abrigar o primeiro laboratório de biossegurança nível 4 (NB4) do Brasil - o projeto foi contratado e anunciado pelo ministro de Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes.

"Faltam palavras pra definir essa obra. Ela materializa para todos nós o futuro. Conversando há pouco com o José Roque [diretor do CNPEM], dado a excelência das empresas que circunvizinham essa obra, porque não temos aqui o Vale do Silício da Biotecnologia. E ele falou a palavra mágica: recurso. E também Petrobras. Eu não posso interferir na Petrobras, mas a título de sugestão, porque não destinar recursos para essa obra?", disse o presidente.

Em seu pronunciamento, o presidente defendeu que é por meio da tecnologia que se pode buscar "a independência da nação", e citou a Amazônia como uma das regiões mais fartas e abundantes para o campo da biotecnologia.