Vai começar a campanha

Em que pese o estado de ânimo dos brasileiros não estar tão em sintonia com a classe política nesse momento, não tem como fugirmos da responsabilidade. A partir da próxima terça-feira, 16, começa oficialmente a Campanha Eleitoral 2016 que irá culminar com a eleição do novo prefeito e dos 17 vereadores no dia 2 de outubro.
Com as novas regras definidas pela Justiça Eleitoral, para partidos e políticos, a questão do financiamento de campanha irá ser o calcanhar de Aquiles desse processo que terá apenas 45 dias. Além disso, a propaganda eleitoral, diferente de 2012, está mais restritiva e irá coibir abusos.
Para o eleitor, e aqui em Valinhos somos em número de 86,4 mil, o mínimo que deve se exigir é atenção aos candidatos e às propostas. O descontentamento com a classe política é natural diante desse momento que o país vive. Todos estamos estarrecidos com o rombo bilionário que o maior esquema de corrupção de nossa história causou aos cofres públicos. A crise econômica, causada pelo desmando e o desgoverno do PT, atinge e aflige a todos e, a crise institucional causada pelo processo de impeachment da presidenta Dilma.
Temos motivos de sobra para não irmos às urnas no dia 2 de outubro. Mas o verdadeiro cidadão sabe que é preciso exercer o dever afim de mantermos nossa democracia. Desilusão, desânimo e descrédito na classe polética é fato corrente neste Brasil do século XXI. Mas precisamos seguir em frente.
Em Valinhos, teremos três candidatos a prefeito e 293 candidatos a vereador. O desafio de cada eleitor é escolher entre esses aquele com capacidade para lhe representar bem no plenário da Câmara Municipal e outro para governar a cidade a partir do Palácio da Independência. Sim, temos gente séria, capacitada e com vontade de trabalhar por Valinhos.
Mas o que 1esperar dos candidatos nesta campanha? O mínimo de respeito e apresentação de propostas. Queremos uma campanha limpa e pautada por discursos e propostas que evidenciem o interesse de nossos candidatos em contribuir pela evolução e aprimoramento de nossa qualidade de vida.
Valinhos é uma cidade privilegiada. Se temos problemas? Sim, temos, e muito. Mas se olharmos para os mais de 5 mil municípios brasileiros, vamos entender que estamos num patamar que é fruto de um trabalho que os políticos que já governaram Valinhos plantaram lá atrás.
Desconfie de candidatos que se apresentem como salvadores da pátria. Daqueles que apregoam em seus discursos que tudo está errado, que nada presta e que eles têm a solução para tudo, porque são “os melhores”.
Especificamente em relação aos candidatos a vereador é importante que saibamos escolher cada um dos 17 candidatos. A Câmara Municipal tem papel fundamental no dia a dia da cidade e a responsabilidade é grande. Desconfie daquele que diz que vai fazer, vai construir, vai mudar. O vereador precisa cumprir com seu papel fiscalizador legislador. Se ele fizer isso, acredite, estará contribuindo, e muito, com nossa cidade.
E essa responsabilidade aumentou esta semana. Na ú ltima quarta-feira, 10, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que só uma Câmara de vereadores pode tornar inelegível um prefeito que teve suas contas rejeitadas por um Tribunal de Contas. Ou seja, não bastará a desaprovação pelos Tribunais, que auxiliam o Legislativo na análise dos gastos, para que ele fique impedido de disputar um outro cargo eletivo. Terá de passar pelo crivo dos vereadores.
Que a partir do próximo dia 16 cada um de nós, eleitores, tenhamos olhos e ouvidos bem atentos para conhecermos nossos candidatos e suas propostas, e assim reverberarmos com nossas vozes aquele que acreditamos ser o melhor para nossa cidade. Se a propaganda é a alma do negócio, o bom e velho boca a boca continua a fazer a diferença neste processo.