Um ano para a cultura comemorar

Estabelecer uma Política Cultural eficiente, democrática e plural, é provavelmente um dos grandes desafios de qualquer governo que pretenda empreitar numa seara tão complexa. Valinhos, ao que parece, optou por enfrentar esse desafio.
A aprovação de pacote de Leis Culturais, de autoria do prefeito Clayton Machado (PSDB), pela Câmara dos Vereadores mostra que novos ventos começam a soprar favoravelmente ao ambiente cultural valinhense.
A terra de Adoniran Barbosa, Flávio de Carvalho, Roque Palácio, Haroldo Pazinatto, Banda do Brejo, Paco de Ribes, Marcos Guimarães, Jerci Macari, da diversidade de nossas academias de danças, do Centro Cultural “Vicente Musselli”, entre tantos outros artistas e espaços culturais que trabalharam e trabalham muito pelo reconhecimento deste importante celeiro cultural, ganha com a criação do novo Conselho de Políticas Culturais, de um Conselho específico para cuidar e olhar pelo nosso patrimônio histórico e, especialmente com a criação do Sistema Municipal de Cultura (SMC).
Há muito a área cultural de nossa cidade carecia de um olhar diferenciado. Olhar que fosse capaz de captar os desejos e anseios de nossos artistas, produtores culturais, intelectuais, professores e profissionais a quem devemos, em grande parte, a formação de nosso DNA e de nossa matriz cultural.
O prefeito, por encaminhar a Câmara as três propostas e os vereadores por darem respaldo, na letra da Lei, a tão importante projeto, entram para a história da cidade por contribuírem com uma área tão desmerecida e desvalorizada em ambientes políticos.
Fato é que a letra da Lei por ela só, se torna inócua. Caberá a todos os interessados se empenharem para que as teses, hipóteses e ideias que até então estavam no mundo da abstração comecem a ganhar a merecida concretude.
O novo Conselho de Política Cultural está sendo criado em consonância com as exigências do Sistema Nacional de Cultura (SNC), do qual Valinhos passou a ser signatário de Acordo desde outubro de 2015. A participação da classe artística e de todos os interessados no ambiente cultural é de fundamental importância.
Com o Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Valinhos, que em maio estará completando 120 anos de sua Elevação a Categoria de Distrito de Paz, estará ganhando um elemento fundamental para que sua arquitetura de relevância, prédios históricos e seus bens culturais materiais e imateriais, possam ter a merecida salvaguarda. A cidade precisa olhar para o futuro, mas para isso o presente precisa respeitar e proteger seu passado.
A criação do Sistema Municipal de Cultura (SMC) em consonância com as diretrizes do Sistema Nacional de Cultura (SNC), passa a definir os caminhos para que possamos formular, definir e implantar uma verdadeira e democrática Política Cultural para Valinhos.
Para que esse sistema funcione, será necessário que seus componentes comecem a se articular e a funcionar como tal. Para isso, o Sistema será coordenado pela Secretaria de Cultura e Turismo; terá como instâncias de articulação, pactuação e deliberação o Conselho Municipal de Política Cultural e a Conferência Municipal de Cultura (CMC); como instrumentos de gestão o Plano Municipal de Cultura (PMC), o Sistema Municipal de Financiamento à Cultura (SMFC), o Sistema Municipal de Informações e Indicadores Culturais (SMIIC) e o Programa Municipal de Formação na Área da Cultura (PROMFAC).
O ano de 2016, em que pese a existência de um processo eleitoral em curso, já deve ser muito comemorado por todos que atuam, trabalham, produzem e fazem circular produtos culturais em nossa cidade. As garantias na letra da Lei já não poderão mais serem tiradas de vocês.
Esta conquista, abre caminho para que a economia criativa, que movimenta milhões de reais por ano no Brasil e, na qual todos aqueles que atuam na área cultural são engrenagens importantes, passe a ser reconhecida em nosso município. E pelo jeito, mais novidades virão por ai.