Região do desenvolvimento

O país vive um momento de convulsão política e estagnação econômica. Enquanto o debate acirrado e muitas vezes intolerante do “nós x eles” tem como ponte as redes sociais em direção as conversas na vida real, Valinhos tem trabalhado para fugir deste paradigma e se preocupar com o próprio quintal.
Desde o início de 2013, a cidade confirmou 3.499 novos CNPJ’s. Uma marca considerável em um momento em que o empresariado teme e fica receoso em investir.
As 11 grandes empresas que decidiram investir em Valinhos ou ampliar sus produção na cidade geraram desde 2014 o aporte de R$ 878,3 milhões. O valor pode chegar a R$ 1 bilhão, já que a West Rock pretende investir até 2020 o total de R$ 100 milhões.
A geração de empregos diretos entre estas mesmas empresas será de 931 vagas. Um número expressivo em um período delicado da economia em que a insegurança entre os trabalhadores gera diminuição no poder de compra.
Valinhos está colhendo os frutos e corrigindo os erros do passado quando esqueceu de apostar na chegada de novas empresas. Em uma década, mais de 200 indústrias deixaram a cidade e foram gerar renda e empregos em outros municípios.
A nova Lei de Incentivos Fiscais em vigor desde o nao passado contempla tanto novos empreendimentos quanto os já existentes, desde que, neste caso, haja projeto de ampliação.  Os benefícios e o tempo de validade são aplicados de acordo com o grau de investimento da empresa no município: geração e manutenção de empregos diretos, faturamento anual e valor. A empresa, por sua vez, se beneficia da isenção ou redução de tributos como: IPTU, ITBI, isenção da taxa de aprovação, licença e vistoria, bem como a redução da alíquota do ISSQN.
Além disso, a parceria com a Investe São Paulo está trazendo benefícios. Praticamente 100% de todos os novos investimentos chegaram por intermédio deste braço do governo estadual. Ele é responsável por apresentar a cidade para a empresa interessada, mostrando os benefícios econômicos e fiscais, localização, potencial do município etc. A prrincipal vitória foi a queda de braço com o Rio de Janeiro no anúncio da laboratório Bionovis com investimento de R$ 739 milhões.
Valinhos é uma cidade privilegiada, já que é cortada por três grandes rodovias de São Paulo: D. Pedro, Bandeirantes e Anhanguera. Esta última passa por bairros como Macuco e Joapiranga, principais locais de instalação das novas empresas e estrategicamente localizadas próximo ao aeroporto de Viracopos.
Estes fatores interferem no desenvolvimento social do munícípio, como 1º lugar entre as 20 cidades da Região Metropolitana de Campinas (RMC), na 5ª posição estadual e na 12ª entre os 5.565 municípios do país no Atlas do Desenvolvimento Humano edição 2014 (IDH-M), que mede a qualidade de vida.
No Índice de Gestão Fiscal (IFGF), organizado pela Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), divulgado em junho de 2015 sobre a responsabilidade administrativa dos gestores públicos brasileiros, com dados de 2013, Valinhos melhorou 1,8 mil posições no ranking nacional em comparação a 2012, passando de 2.696ª para 894ª e 244 posições no ranking estadual de 415ª para 161ª.
Enfim, a cidade mostra que com trabalho sério e sabendo onde estão os atalhos é possível ser a mosca branca e ganhar destaque trazendo grandes investimentos, gerando renda, aumentando a arrecadação e impostos e criando oportunidades de emprego.