No tempo certo

A notícia divulgada pelo Departamento de Comunicação da Prefeitura na última quinta-feira, 21, dando conta que a Administração do prefeito Orestes Previtale (PSB), conseguiu fechar com a Concessionária Rota das Bandeiras – responsável pela administração da Rodovia Dom Pedro I e o Anel Viário Magalhães Teixeira – a retomada das obras de canalização do Córrego Invernada, atende a um apelo dos moradores e comerciantes da Avenida Invernada e que se arrasta por anos.
A luta da Administração Municipal para que as obras visando a contenção das enchentes e de alagamentos na região se arrasta há quase duas décadas desde a grande enchente de 1998, quando carros de uma concessionária foram arrastados e encontrados no Ribeirão Pinheiros. Na ocasião se constatou que o volume de água foi daquelas chuvas que acontecem a cada 100 anos e outra constatação foi a de que as obras do Anel Viário Magalhães Teixeira trouxeram grande impacto nas calhas dos córregos das Nações e Invernada que não suportaram o grande volume de água que foi drenado para os dois córregos.
Foram anos de discussão e na ocasião o então prefeito Vitório Antoniazzi fez com que os problemas das enchentes na Avenida Invernada foram colocados na Ação Civil Pública que o Ministério Público moveu contra o Estado pelos impactos ambientais causados pelas obras do anel viário.
O Estado foi condenado e, na ocasião o Departamento de Estrada de Rodagem (DER), responsável pelas rodovias, ainda não privatizadas, realizasse as obras para mitigar o dano causado. Com a privatização da Rodovia Dom Pedro a responsabilidade passou para a Rota das Bandeiras que além das obras da Avenida Invernada também deveria realizar obras no Ribeirão Pinheiros na região da Capuava, está já concluída.
Desde a confirmação da sentença a Avenida Invernada já passou por diversas grandes enchentes durante o verão, trazendo transtorno ao trânsito e prejuízos aos moradores e comerciantes.
Este ano, foi o primeiro em décadas que a Avenida não sofreu com as enchentes, isso graças a pequenas intervenções que a Secretaria de Obras realizou a montante no Córrego Invernada e também à primeira fase da obra de responsabilidade da Rota das Bandeira realizada no trecho próximo ao Clube Valinhense.
O tempo passou e a região se desenvolveu no entorno do Invernada, ocorrência esta que também é registrada ao longo de toda calha do Ribeirão Pinheiros. A ausência de planejamento e o processo de impermeabilização do solo também são responsáveis pelas enchentes que flertam com Valinhos há décadas. 
Com este anúncio, e ressalte-se, mérito do prefeito Orestes Previtale que tratou diretamente do assunto com os diretores da Rota das Bandeiras, acredita-se até então nenhuma solução prática e definitiva para solucionar o problema foi apresentado. Esta segunda, fase ao que tudo indica colocará um fim aos transtornos ao menos nesta região.
Serão investidos na obra segundo a empresa cerca de R$ 3,5 milhões e a intervenção será feita entre a Avenida Onze de Agosto e a Unilever, com cerca de 800 metros.
As obras começam no tempo certo, afinal sete meses nos separam do próximo verão, quando se dará o primeiro teste. Mas, importante destacar que com a realização dessa intervenção a Prefeitura, obrigatoriamente, deverá promover uma remodelação na própria Avenida Invernada (e seus canteiros), que por ser uma importante artéria viária, precisa também receber um novo paisagismo o que contribuirá sobretudo para o desenvolvimento do comércio na região.