Início com saldo positivo

Depois de um dezembro em que Valinhos fechou com saldo negativo de 920 empregos na redação admissão e demissão, Valinhos encerrou os primeiros 31 dias do ano com saldo positivo de 218 vagas abertas. Os números foram divulgados na semana passada pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).
Valinhos está a frente de cidades de mesmo porte na Região Metropolitana de Campinas (RMC), como Vinhedo, Itatiba e Indaiatuba. Os três municípios encerraram janeiro no vermelho. Vinhedo, por exemplo, tem um acumulado em 12 meses de menos 3.127 vagas fechadas, o pior desempenho entre as outras cidades na comparação.
Apesar de um momento de uma grave crise econômica que está prejudicando a estabilidade dos empregos, diminuindo  o poder de compra e colocando uma incerteza de quando o país voltará a se recuperar, Valinhos segue na contramão deste caminho e tem tentado trazer o desenvolvimento através do anúncio de uma série de empresas no parque industrial na cidade. Isso gerará em um período de médio a longo prazo aumento nas receitas do município e, talvez, em um curto espaço de tempo geração de emprego. Um dos exemplos é a instalação de uma franquia da rede de hotéis Blue Tree.  Com investimento de R$ 30 milhões, o empreendimento abriu 30 vagas de emprego.
A parceria com a Investe SP também tem ajudado Valinhos a melhorar a imagem e transformar a cidade em um promissor espaço de atração de empresas. Após perder cerca de 200 empresas em uma década, a cidade tem atraído centenas de novos empreendimentos. É o município que mais possui projetos para novas empresas na agência de fomento Investe SP e foi o líder em geração de empregos em 2015 na Região Metropolitana de Campinas (RMC).
Dados da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do município confirmam a tendência: de janeiro de 2013 a setembro de 2015 foram contabilizados 3.398 cadastros, entre novos CNPJ’s ou alterações. O resultado é a geração de 1 mil empregos diretos e, pelo menos, mais 900 indiretos.
Outro fator que ajudará a melhorar a criação de empregos na cidade está ligado à nova legislação de atração de empresas. Em vigor desde o ano passado, a lei contempla tanto novos empreendimentos quanto os já existentes, desde que, neste caso, haja projeto de ampliação.  Os benefícios e o tempo de validade são aplicados de acordo com o grau de investimento da empresa no município: geração e manutenção de empregos diretos, faturamento anual e valor do investimento. A empresa, por sua vez, se beneficia da isenção ou redução de tributos como: IPTU, ITBI, isenção da taxa de aprovação, licença e vistoria, bem como a redução da alíquota do ISSQN.
Estas mudanças provocaram impacto em indicadores estaduais e nacionais. É o 1º entre os 20 municípios da RMC, no Atlas do Desenvolvimento Humano (IDH-M), que mede a qualidade de vida. No Índice Firjan de Gestão Fiscal (IFGF), Valinhos melhorou 1,8 mil posições no ranking nacional, passando de 2.696ª para 894ª entre 2012 e 2013.
Os resultados do Índice Paulista de Responsabilidade Social (IPRS) apontaram crescimento nos principais indicadores analisados, com destaque para a área de educação. O município saiu da 90ª para a 17ª posição no quesito escolaridade, representando um crescimento de 73 posições no ranking estadual.
Todos estes fatores - indicadores positivos, anúncio de empresas, legislação atraente - ajudam no desempenho de Valinhos se manter equilibrado na geração de empregos no município, colocando a cidade em evidêndia na RMC. 

De janeiro de 2013 a setembro de 2015 foram contabilizados 3.398 cadastros, entre novos CNPJ’s ou alterações