Disputa eleitoral intensa

Na segunda-feira, 27, o prefeito Clayton Machado lançou sua pré-candidatura pelo PSDB à prefeitura de Valinhos. Ele tentará a reeleição em uma disputa que promete ser bastante acirrada, assim como são caracteristicamente as eleições na cidade.
O cenário político atual apresenta cinco pré-candidatos. O ex-petista Alexandre Tonetti e hoje no PDT, legenda a qual ele também é o presidente. O peemedebista Orestes Previtale, o empresário José Carlos Caetano pelo PTB, o prefeito Clayton Machado e o vice-prefeito Luiz Mayr Neto (PV) são os personagens que hoje tentarão convencer o eleitor valinhense a escolher quem será o próximo prefeito.
Desde sexta-feira, 1º de julho, a lei eleitoral está mais rígida e impõe uma série de restrições aos précandidatos. Será assim até o dia da votação em 2 de outubro. Nomes que desejam ocupar uma das 17 vagas na Câmara ou que pleiteiam uma oportunidade no Palácio da Independência precisarão ficar mais contidos para evitar a ameaça e propaganda eleitoral antecipada.
O uso da internet nas eleições será um fato que precisará ser observado de forma minuciosa. O comportamento do eleitor - e da sociedade - mudou. Além das mídias tradicionais, como jornal, rádio, televisão, revista, a internet provocou um impacto feroz em como as pessoas analisam e pensam o cenário de todos os assuntos.
Na política, esta será a segunda eleição municipal em que as redes sociais podem fazer diferença e ocasionar um transporte de pensamento da tela do computador para a vida real.
O eleitor nas redes sociais manifesta suas críticas positivas e negativas e forma mais contundente graças à proteção da impessoalidade das manifestaçoes, por outro lado, os debates de ideias das redes são acalorados com cada um defendendo um lado.
Ao mesmo tempo em que as redes democratizaram e colocaram em patamares próximos os debates políticos, ou seja, não são só os especialistas que monopolizam o debate, quem vive o cotidiano também expõe suas ideias, anseios e propostas para melhorar a qualidade de vida da cidade.
Percebendo esta transformação, todos os pré-candidatos à prefeitura e grande parte dos que pleitearão uma vaga na Câmara Municipal possuem perfis no Facebook, e a manfestação de simpatizantes e contrários é assídua.
Por isso, todos os nomes que estarão em disputa por um cargo público nos próximos quatro anos precisam prestar atenção neste fenômeno e apostar com mais inteligência nas propagandas virtuais em redes sociais. Saber como gerenciar os mecanismos de alvo de público para alcançar a faixa etária ideial de eleitorado auxiliará os candidatos a apresentarem as propostas.
Certamente, a disputa eleitoral ficará mais acirrada. Além dos já tradicionais e costumeiros discursos no dia a dia, a campanha eleitoral nestes ano terá muita força nas redes sociais. Elas ainda não devem ser capazes de definir qual candidato será eleito, mas terá papel de projetar um candidato desconhecido ou descontruir a imagem de um nome tradional na política valinhense.
As convenções partidárias entre os dias 20 de julho a 5 de agosto confirmarão quem realmente entrará nesta briga. E quem for precisará compreender o eleitor em todas as esferas, principalmente no ambiente virtual, que aos poucos está sendo capaz de construir e destruir imagens e nomes através de publicações.