Waldir Maranhão, este é o cara!!!

Em um estalo de dedos o nome deste nobre deputado federal ficou conhecido rapidamente por boa parte dos brasileiros, mais que o cantor e deputado Tiririca.
Waldir Maranhão, médico veterinário, eleito com 66.274 votos, pelo estado do Maranhão, teve a oportunidade de ocupar uma das cadeiras mais importantes da política a de presidente da Câmara dos Deputados, e, num espaço de 24 horas, tomou decisões completamente irresponsáveis uma atrás da outra sobre impeachment.
Uma curiosidade do deputado, nas eleições de 2010, foi o milagre de multiplicação de seu dinheiro, pois doou para si mesmo uma quantia 33 três vezes maior que a declarada.
Fico imaginando como pode uma pessoa ter o poder na ponta das mãos, e tomar certas atitudes. Meu Deus, se já está difícil, imagine ele no comando do Brasil! Talvez quisesse devolver o Brasil a Portugal, ou arrendar o Brasil para Cuba ou Venezuela.
A coisa foi tão ridícula, que o deputado Tiririca tirou o bigode para não compararem com Waldir Maranhão, pois alegou que “ele fez uma brincadeira muita séria com o Brasil, na realidade sem graça”.
Na minha modesta opinião, se existe exames admissionais para empregados antes de começarem a trabalharem nas empresas, para verificar se estão aptos para atividade, deveriam fazer uma prova com os políticos com perguntas objetivas. No caso do deputado, será que ele sabe quem é o vice-governador de seu estado do Maranhão, se ele sabe em que América o Brasil se situa, como chama a capital do Brasil. Talvez não consiga responder corretamente.
Ao meu ver, os órgãos responsáveis deveriam regulamentar para que os políticos de modo em geral, antes de se candidatar ao cargo, prestassem provas de conhecimento para não expor nosso Brasil a esse vexame tanto a nível nacional como internacional.
Deveriam redigir redação com no mínimo 25 linhas. Aí leitores, a porca ia torcer o rabo. Tem político que não sabe escrever, não sabe o que é parágrafo, não sabe diferenciar o que é conserto de concerto, sessão de seção, e aí vai.Tenho certeza que se isso ocorresse, muitos, mas muito políticos não iriam dormir de tamanha preocupação. Será que iriam renunciar? Ou requerer o afastamento por motivo de saúde, causa síndrome do pânico.
Quem acompanhou os últimos desfechos em Brasília percebeu que o nobre deputado deve ser acanhado, tímido, sempre rodeado de segurança, pois quando assumiu a presidência, jamais chamou a imprensa para responder aos questionamentos. Talvez percebeu que seu maior erro ou burrada foi assumir a vice-presidência, onde julgava que jamais poderia assumir a cadeira de titular!
Vejo certas “coisas” que vão para plenário e fico imaginando o desperdício de papel, do material utilizado, no tempo dispendido, o trabalho dos servidores por um mísero assunto que não vai impactar em nada, apenas no ego do político dizer “olha, foi de minha autoria”.
Por fim quero dizer que existem muitos, mas muitos Waldir Maranhão espalhado pelo Brasil, talvez você leitor conheça algum que esteja próximo de você. Cuidado com ele!

 

Edmilson Barbarini

Edmilson Barbarini é servidor público municipal, bacharel em ciências contábeis.