VALINHOS CUIDANDO DAS CRIANÇAS E DA POPULAÇÃO

Laís Helena é educadora

Vivemos um momento de perplexidade, palavra esta mais apropriada, para se descrever o sentimento em  todo planeta. Embora invisível a nossos olhos, o coronavírus expôs a fragilidade do ser humano ao contaminar indistintamente ricos, pobres, cidadãos comuns, autoridades, credos religiosos, condições sociais e idades. Diante desse quadro que a todos assusta, trazendo situações difíceis para as pessoas, o governo Orestes \ Laís Helena saiu á frente de muitos Municípios, com medidas inéditas em nossa cidade. Receberão kits de alimentação doze mil e quinhentas famílias de alunos matriculados na Rede Municipal de Ensino. Considerando-se que cada família tenha em média quatro a cinco pessoas, cerca de sessenta mil pessoas entre crianças e adultos serão atendidas, nesse momento tão difícil, proporcionado pela pandemia. Essa é uma ação inovadora numa cidade do interior, como Valinhos.
Tendo-se, a par da saúde, a questão social também como foco, o Prefeito solicitou a Secretária da Assistência Social Dulce de Paula Souza, que ampliasse o número de atendimentos aos cadastrados nos CRAS - Centro de Referência da Assistência Social, assim sendo mais três mil e quinhentos kits alimentação serão entregues às famílias em situação de vulnerabilidade social. Ações como estas jamais vistas na história de nossa cidade, decisão realmente inédita. Administração Municipal cuida das crianças e da população. Essa é uma das formas de enfrentar a pandemia, com firmeza e seriedade, de maneira humana, focada na situação emergencial, a fim de amenizar esse mal que nos pegou de surpresa, sem manual de procedimentos.
O governo Orestes \ Laís Helena mostra que esse tempo de isolamento necessário, é uma ocasião imensurável de crescer para dentro, trazendo através dessa atitude alimento básico, de acordo com a merenda escolar, para os alunos e sua família.
E aí poderá surgir a seguinte indagação:
- E para aquelas pessoas necessitadas, que não são cadastradas em lugar nenhum e\ou não tem filhos nas escolas?
O Fundo Social de Solidariedade, braço direito da Prefeitura tem, em média, três mil pessoas cadastradas, enquadradas nos critérios estabelecidos. Elas pegam sacolas emergenciais de alimentação, principalmente os desempregados. Quando a pessoa não tem cadastro efetuado, são orientados a procurar o CRAS, todavia, se estiver com toda documentação exigida é, imediatamente, cadastrada no Fundo Social. Assim sendo todas as pessoas , em situação precária são atendidas. O Fundo Social de Solidariedade funciona com voluntárias e no momento todas afastadas, por conta da idade acima de sessenta anos, ou devido ao risco, o que dificulta o trabalho, que está sendo desenvolvido por, apenas, duas pessoas a Presidente Renata Previtale e a Diretora Sueli Mamprin, por isso o atendimento é de forma muito bem organizada.
Tudo isso não é tarefa heróica, mas de amor e respeito a vida e com certeza um trabalho para muitos, por um bom tempo, usando todas as ferramentas e canais possíveis, nestes tempos de difíceis, que se nos apresentam. Estamos fazendo a nossa parte!