Precisa-se de você!

Todos sabemos e temos consciência em relação ao momento delicado de saúde pública que estamos passando. É um momento em as pessoas exercem, mais do que nunca, a empatia, ou seja, a capacidade de se colocar no lugar do outro. Tenho visto atos como nunca antes. Fixação de cartazes em prédios, por exemplo, por pessoas se disponibilizando a fazer compras, buscar medicamentos, dar algum tipo de amparo para idosos e portadores de deficiências, que são pertencentes à classe de risco mais elevada de contaminação.
É importante termos em mente que, seguindo todas as exigências das autoridades sanitárias e, principalmente, ficando em casa e não saindo sem uma real necessidade, esta pandemia vai passar. E, com isso, os reflexos e resultados dependem, mais do que nunca, de todos nós. Todos por todos. Preservarmo-nos para também proteger os que mais amamos.
Pensando nisso, me deparo sempre refletindo também em relação às crianças e adolescentes, pois tanto em tempos comuns quanto agora, eles são a quem também dedicamos nossos maiores cuidados, com muito carinho e atenção. Assim, me coloquei novamente a escrever sobre as possíveis doações financeiras que podemos fazer, para atender a demandas sociais reprimidas em nossas cidades.
As pessoas físicas que optam pelo modelo de Declaração de Imposto de Renda (IR) pelo Formulário Completo, têm até 30 de abril para optar por doar até 3% do imposto devido, referente ao ano base 2019, para o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA). Considerando o ano base 2017, o potencial de doação das pessoas de Valinhos girava em torno de R$ 5,5 milhões, sendo que o real arrecadado foi de aproximadamente R$ 110 mil somente.
Como nestas semanas que se aproximam pode haver maior disponibilidade para leitura e informação sobre o tema, minha sugestão é que possamos realmente estudar e considerar esta possibilidade. Trata-se de uma ação importante que visa arrecadar recursos financeiros ao Fundo Municipal dos Direitos da Criança e Adolescente (FMDCA) de Valinhos, recursos estes que são aplicados conforme os termos do Artigo 260 do Estatuto da Criança e do Adolescente, para o financiamento de programas, projetos e serviços destinados ao atendimento destas pessoas. A escolha dos projetos e das entidades a serem beneficiadas é feita diretamente pelos Conselho Municipal, composto por 50% da sociedade civil e 50% do poder público.
Segundo a Receita Federal, o volume desse tipo de doação ainda é muito baixo no país e o potencial de crescimento é enorme. De acordo com o Fisco, apenas 1,5% do potencial de doação do imposto devido do país é cumprido pelas pessoas físicas.  Em Valinhos, esta realidade não é diferente.
Pelas informações obtidas com pessoas ligadas ao Fórum das Entidades Assistenciais de Valinhos (FEAV), por este potencial de crescimento ser muito grande há a possibilidade de tirar do papel projetos de grande importância e relevância para a cidade, mas faz-se necessário um trabalho cada vez maior de conscientização da população. Tendo em vista os desafios econômicos que se aproximam para todas as cidades, inclusive Valinhos, esta é uma excelente oportunidade para atender demandas reprimidas na área social com crianças e adolescentes. Campinas, por exemplo, soube aproveitar bem esta oportunidade. Lá, atualmente, são 150 entidades aptas as receber projetos com recursos. De 1997 a 2014, arrecadou-se em doações de IR mais de R$ 74 milhões. Somente em 2014, foram mais de R$ 9 milhões, que serviram para diversos projetos na cidade.
Para doar, procure o seu contador, o CMDCA, o site da Prefeitura de Valinhos ou na Casa dos Conselhos, pelo telefone (19) 3859-9191. Mas, atenção. Porque as doações precisam ser feitas ao Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente. Doações feitas diretamente a entidades assistenciais ainda não podem ser abatidas do IR.
A recuperação do Brasil, tanto em relação à saúde das pessoas quanto em relação à economia de nossas cidades, também dependerá de cada um de nós, da consciência e de nossas ações. #todosportodos

Fabrício Bizarri é Engenheiro Mecânico e atua em Indústria Multinacional. Também é Gestor Cultural, especializado em Gestão e Políticas Culturais pelo Itaú Cultural em parceria com a Cátedra UNESCO da Universidade de Girona.

em Gestão e Políticas Culturais pelo Itaú Cultural, em parceria com a Cátedra UNESCO da Universidade de Girona – Espanha e membro do Lions Clube de Valinhos.