Plástico nosso vilão

Edmilson Barbarini, bacharel em Ciências Contábeis e servidor público municipal.

Quem imaginou que um dia o plástico criado no ano de 1907, um produto que revolucionou o mercado em vários segmentos, se difundiu em nosso cotidiano de tal forma, que não imaginamos o mundo sem ele e hoje pode ser considerado um vilão para a humanidade.
Fato que preocupa os ambientalistas, que neste ano o tema do Dia Mundial do Meio Ambiente foi “acabe com a poluição plástica”. O objetivo é chamar atenção da população para reduzir a fabricação e consumo excessivo de produtos plásticos descartáveis. De acordo com a ONU, senão revermos a forma como consumimos o plástico, provavelmente até o ano de 2050 poderá haver mais plásticos nos oceanos do que peixes! Preocupante esta estatística, não é?
E aí pescadores o que vocês acham disso!? Imagine o pescador esperando pegar aquele tucunaré para assar na beira do rio, quando de repente isca uma sacola do Carrefour ou do supermercado Caetano. Se isto já não aconteceu várias vezes!
Existe uma enorme mancha de lixo no Pacífico, conhecida como a “Ilha”. Projetaram no início deste ano que esta “ilha” de plástico a flutuar tenha 1,6 milhões de quilómetros quadrados, o que equivale a 2 vezes o tamanho da França.
Para terem uma ideia, anualmente, 500 bilhões de sacolas plásticas são utilizadas e depois jogadas fora ao redor do mundo, segundo dados da ONU. O plástico representa 85% de todo lixo marinho! Está sendo comum ver peixes, tartarugas, golfinhos, morrendo por engolirem plásticos, pensando que é alimento.
A Comissão Europeia apresentou projeto para reduzir o consumo de plástico, em que proíbe o uso de talheres de plásticos, a substituição dos canudinhos plásticos por de papel e para 2025, os países membros da Europa terão que recolher 90% das garrafas plásticas descartáveis.
Vivemos em um mundo em que tempo é dinheiro, cada vez mais utilizamos ferramentas para dar praticidade e conforto aos consumidores, como por exemplo os produtos alimentícios de rápidos preparos. Estes por sua vez são acondicionados quase 100% em embalagens plásticas.
O Banco Mundial, projeta que o crescimento da população e dos níveis de consumo para 2050, sejam necessários 3 planetas terras para dar conta de nossas necessidades devido ao estilo de vida que vivemos.
E o que temos feito em Valinhos para proteger o meio ambiente além de plantar árvores, colocar os plásticos na porta de nossas casas para recolherem?
Temos que trocar o copo plástico pelo biodegradável ou de papel, abolir o canudinho plástico, abolir os talheres plásticos, eliminar as paletas para mexer o cafezinho, diminuir o consumo de sacolas plásticas, etc, etc, etc.
São tarefas nada agradáveis para muitos, pois estamos em uma zona de conforto, mas temos que colaborar para além de termos um planeta mais sustentável agora, preserva-lo para as gerações futuras.
Lembrem que entre 2014 e 2015, fomos obrigados a racionalizar água devido a escassez dos rios e represas que abastecem nossa cidade. Fizemos nossa parte. Ao fim passamos por esta fase sem muitos constrangimentos e fomos referência para muitas cidades.
Podemos ser referência na diminuição dos plásticos em nosso cotidiano, depende apenas de nós.