Os ovos pretos da galinha dos ovos de ouro

Certa vez vi o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva chorando, era o ano de 2010. Eu já tinha visto o Lula chorar várias vezes, eu também sou sentimental assim, já ensaiei de fazer algum curso ou tratamento para perder essa sensibilidade boba e deixar de ser chorão por qualquer coisa, mas não fiz porque fiquei pensando: e se o fizesse e continuasse chorão? aí ficaria pior ainda. Mas Lula que chorava sempre, naquele dia tinha um choro diferente, parecia que arrancaram algo do seu coração, era um choro político devotado, só depois descobri que ele chorava de alegria.

Em seguida aos seus soluços Lula conseguiu ainda fazer um pequeno discurso feito de improviso, falava parava, fixava um olhar para o céu pensativo, depois voltava ao choro e olha que os discursos de Lula de improvisos tinham quase sempre pitadas de insensatez, ele tinha a mania de falar o que não devia, (parece até alguém que conhecemos), mas dessa vez parecia estar com os pés no chão. 

Nesse dia Lula estava de capacete e macacão, era um uniforme de alaranjado para o vermelho, igual aos usados pelos funcionários da Petrobras, sendo que na luva especial que ganhou de presente (de apenas 9 dedos), era possível ver manchas de petróleo escoado das profundezas do mar. Não me lembro mais da narrativa daquele instante, só do seu conteúdo principal e Lula estava falando ao vivo, com toda mídia ali presente diretamente de uma plataforma da Petrobras em alto mar. Naquele momento o Brasil acabava de saber através de Lula que haviam descoberto uma imensa jazida de petróleo, o pré-sal, segredo guardado à sete chaves até que se tivesse certeza do achado. O pré-sal tinha sido mapeado de acordo com técnicos em 800km de extensão na costa brasileira em até 7.000m de profundidade, só que precisaria ter tecnologia de profundidade para explorá-lo.

Lula deixou duas frases profundas: “O Brasil ganhou um bilhete premiado” e “É o passaporte para o futuro”, e outras de esperanças no bojo dessa situação pitoresca de bem estar, desse fato inédito, que com os frutos dessa descoberta os jovens teriam escolas, que seria erradicada a pobreza no Brasil, que o dinheiro arrecadado deveria ir para um fundo para o futuro, que o real poderia ser valorizado demais daí teríamos que seguir os caminhos da Noruega que criou um fundo especial do petróleo para não ter a supervalorização da sua moeda. O Brasil dos políticos virou um escândalo de sorrisos, só Deus sabia o que estaria por vir e muitos políticos também é claro.

Nesses 10 anos desde a descoberta do pré-sal foram alterando as leis permissionárias referentes à exploração do petróleo, (se Nicolás Maduro da Venezuela estivesse morto estaria se contorcendo no túmulo). Com tanto petróleo achado a Petrobras ficou pequena, escandalizaram a empresa com um dos maiores roubos da história no mundo, alguns políticos foram presos outros libertados. Criaram a lei dos royalties aos municípios onde estão as jazidas e muitas outras para “adequações”, sendo que o dinheiro evaporou. A Fundação da Noruega existente até hoje não compra mais ações da Petrobras e nem da Vale por questão de ética aos acontecimentos dessas duas empresas, e nós ficamos esperando por mais esse milagre que não aconteceu, só porque “venderam” a nossa galinha dos ovos de ouro, camuflados de pretos de petróleo e nós engabelados permitimos.

Jair Fini é administrador - fini.jair@gmail.com