“...mas é ciúme, ciúme de você…”

No ano de 1968 Roberto Carlos fazia muito sucesso cantando “ciúme de você”, composta por Luiz Ayrão, a música tocava a todo instante ficando muito tempo nas paradas. Dizem os especialistas que o ciúme é bem pior que o corona vírus, pois quase todo mundo já sofreu com ele, não importa o lugar, condição social, sexo ou idade.

No réveillon de 2016 a cantora Ivete Sangalo foi acometida de um surto de ciúmes quando apresentava show na cidade de Guarajuba na Bahia. Ela viu de cima do palco o seu marido, o nutricionista Daniel Cady tagarelando com uma moça no canto do palco no lado da plateia; Ivete olhou uma vez viu os dois rindo e não gostou, olhou a segunda vez e como o papo corria à solta com sorrisos de ambos, Ivete parou de cantar de repente e no meio da música soltou o desabafo ciumento: “Quem é essa papai? está cheia de assunto hein! Vou lhe dar uma porrada”. É parece que a cantora de Juazeiro tentou rodar à baiana.

Tem ciúmes mais radicais que acabam até com casamentos, é o vestido curto, a blusa degote em “U” deixando parte dos seios de fora, maquiagem exagerada, literalmente a saia justa..., como cada um tem o seu fetiche para deslumbrar, tem também o seu “fetiche” para enciumar.

Tem gente que confunde ciúmes com inveja, mas enquanto o ciúme é motivado por algo que se possui e que se tem medo de perder, a inveja é motivada por algo que não se possui, mas que se quer ter ou então que não se quer que mais ninguém tenha.

Por incrível que pareça na política também existem ciúmes, Fernando Henrique Cardozo quando ministro de Itamar Franco causou muito ciúmes por ter instituído o plano real o nosso atual dinheiro. Esse fato alavancou votos para que na eleição seguinte tornasse o presidente do Brasil. Quase em todos os governos sempre tem alguns ministros que se sobressaem e geram uma ciumeira danada, o mais visado é o Ministério da Saúde, se o ministro for bom pode ser até candidato à presidência da república.          

Há pouco tempo o ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro, que goza ainda de muita popularidade por ser considerado um ótimo juiz, causou ciúmes no presidente da câmara Rodrigo Maia. Isso porque Maia é forte candidato à presidência da república e se Moro se destacar nas pesquisas poderá ser até seu adversário direto, sendo uma futura pedra no seu sapato. Por isso o projeto de lei que Moro mandou ao Congresso sobre melhoria na segurança pública virou um caco nas mãos de Rodrigo Maia, ele conseguiu desfigurá-lo por completo e engavetá-lo.

Atualmente quem está nos holofotes da mídia e despertando ciúmes até do presidente Jair Bolsonaro é o ministro da saúde Luiz Henrique Mandetta. A cada coletiva do Ministério da Saúde sobre o corona vírus, Mandetta fala de improviso de maneira oportuna e com uma realidade moderada para quem recebe as tristes notícias e estatística diária, sendo transparente nos dados e coerente com a OMS (Organização Mundial da Saúde). Bolsonaro não quer o isolamento da população, só de idosos o chamado isolamento vertical, talvez seja uma maneira de afastar o seu poderoso ministro que devido a sua popularidade e competência poderá ser um forte adversário ao próprio Bolsonaro. É Sr. Bolsonaro cuidado com a zica disfarçada em forma de vírus.