Mas afinal, o que te inspira a ser um pré-candidato? Qual o teu propósito?

As eleições municipais, começam a ganhar destaque nas rodas de conversas nas cidades brasileiras e em Valinhos, não é diferente. Afinal, em 04 de outubro, conheceremos os agentes públicos, que irão ditar o ritmo do nosso desenvolvimento pelos próximos quatro anos.
Este é um momento em que vários pré-candidatos, começam a testar os seus nomes, seja em família, entre amigos do trabalho, da igreja ou nas instituições em que são voluntários. Alguns com certa experiência, por já terem concorrido em eleições passadas, outros encarando a possibilidade pela primeira vez.
Na eleição de 2016, mesmo diante da crise política que passa o Brasil e do descrédito que vive a classe política nos últimos anos, tivemos 289 candidatos a função de vereador em Valinhos, número considerado alto, porém proporcional ao cenário nacional.
Essa será uma eleição com novas regras; á principal; O fim das coligações para vereadores. O partido A, agora, não poderá se coligar com o partido Z, para a soma eleger seus representantes.  Se por um lado termina com a questão de partidos com ideologias antagônicas se juntarem, apenas para fins de coeficiência eleitoral, por outro lado tira a oportunidade de os partidos pequenos terem os seus representantes nas Casas Legislativas.
E é, este o momento da reflexão do pré-candidato.  O instante em que deve se questionar; mas afinal, o que te inspira a estar na política? Qual o seu propósito? Como se preparou nos últimos 03 anos? A vontade é sua, da família, dos amigos, do pastor ou do padre da sua igreja?
A população a cada dia está descartando o candidato das efemérides, aquele que faz a política da quermesse o ano todo, distribuindo algodão doce, bala, cestas básicas, panetone. Essas ações são importantes? Também, mas não deve pautar uma candidatura. Estar vereador é ser o vigilante dos cofres público. Uma decisão sua, impacta á vida de milhares de pessoas.
Saber interpretar um PPA, LDO e LOA, conhecer o Plano Diretor da cidade, entender a dinâmica financeira e de recursos humanos das Secretarias, entender como funcionam às licitações, estabelecer contatos com camadas da esfera Estadual e Federal, para a vinda de recursos financeiros, são expertises que terão um impacto positivo na vida do cidadão. E é o que se espera de um agente público.
Toda eleição se estabelece o discurso baseado no tripé Saúde, Segurança e Educação. Porém, você como pré-candidato, conhece a política do Sistema Único de Saúde (SUS), já leu a respeito? E a politica do Sistema Único de Assistência Social (SUAS), que mudou á maneira como o Estado enxerga o cidadão, deixando de lado o assistencialismo e adotando a proteção social aos cidadãos, por meio de serviços, benefícios, programas e projetos.
As cidades hoje, precisam pensar de forma inteligente, investir em tecnologias que facilite á vida dos munícipes, estabelecer um contato mais humanizado com seus cidadãos. O propósito coletivo nunca deve sucumbir em detrimento do individual. Barreiras partidárias, não podem sobrepujar o direito do cidadão.
Os pré-candidatos, principalmente, aqueles que se lançam pela primeira vez, devem ser os responsáveis pelo fim da política do BEM contra o MAL, e propagar as infinidades de possibilidades que existem entre os extremos.
Um caminho para quem almeja estar vereador, é a participação nos conselhos municipais de direitos, temos na cidade 19 Conselhos regulados, e que é uma forma para começar a entender e viver a participação social na gestão pública.
O que faz brilhar os seus olhos, quando você pensa em entrar para Câmara de vereadores? Qual o teu propósito?  Seja qual for o motivo, esteja preparado, pois o eleitor está de radar ligado.