Estudando a Família

É com grande alegria que iniciamos esse trabalho de permuta de conhecimento a respeito do desenvolvimento de nossos queridos filhos que chegam ao nosso planeta, sob a nossa responsabilidade, com o foco na instituição base de nossa sociedade. A Família, em fase de ruína e decadência, por influência de um comportamento crescente que tem por base o individualismo, vem cedendo espaço gerando frutos adoecidos em todas as áreas de atuação e instituições.
Temos por obrigação entender melhor aonde encontra-se a instituição família, que foi um dia, na Grécia e Roma antiga, o alicerce da sociedade organizada gerando tanto progresso. Em um processo racional e lógico de reflexão íntima e profunda estabeleceremos propostas de entendimento nas bases estruturais dessa que é a mais natural forma de gerenciamento dos estímulos ambientais ideais para filhos sadios e que podem influenciar no progresso e no comportamento cooperativo da sociedade.
Vivemos o auge de nossas capacidades intelectuais e nossa sociedade rui por conta de estar escolhendo voluntariamente o estado de prazer individual elegendo o mesmo como foco principal de nossas vidas e sonhando o mesmo para os nossos filhos. Entenderemos o como isso acaba virando, como em uma roda sinistra, contra os próprios gerando todos os prejuízos que os farão sucumbir adoecidos em futuro próximo. Parte por conta do despreparo, parte por estabelecermos intrinsicamente um comportamento de fuga dos problemas acumulando os estresses que em momentos de crise apresentam-se como tsunamis devastadores.
Nunca existiram tantas patologias psiquiátricas e a maioria de nós ainda não entendeu a profundidade do problema. Para ilustrar, em 2017 o prêmio Nobel de Medicina foi dado a três cientistas que revolucionaram o entendimento sobre medicina preventiva provando que a maioria das pessoas de nossa sociedade moderna encontra-se já com seus dias contados pelo simples fato de dormirem tarde. Pasmem, deitarmos após as 21 horas seria considerado tarde. O acúmulo de estresse oxidativo, causador da grande maioria das patologias psiquiátricas adquiridas, das doenças cardiovasculares, degenerativas, envelhecimento, imunológicas e metabólicas seria impossível de ser controlado sem o tão revigorante sono reparador que vai do momento que escurece às 3 horas da manhã.
Existem crianças com menos de um ano de idade fazendo depressão e sintomas autísticos, mesmo sem a base genética que causaria o problema por conta da exposição a telas e falta de estímulos afetivos que seriam de responsabilidades de pais que trabalham em demasia cegos para os verdadeiros princípios que regem um contexto familiar.
Enfim, quinzenalmente juntos decifraremos o código do bem viver e desenvolver nossos filhos em Família. Meu carinho e raízes para com a cidade de Valinhos, sentindo-me um filho dessa terra tão linda que me deu tanto carinho, agrada-me de alguma forma retribuir convocando a todas as famílias ao processo de reflexão.

*Caio Abujadi é médico psiquiatra especializado em infância e adolescência. É Socio-Fundador e atual presidente da Associação Caminho Azul.