Estamos vivendo as dores do parto

Meu olhar no céu se perde,
e com ele, os pensamentos...
Vêm as lágrimas, o sorriso,
no além eu busco abrigo
pra deter meus sentimentos.

Devagar vou flutuando
nas nuvens da imaginação...
Vejo o sol todo vaidoso,
o arco- íris aliando-se ao povo
e a chuva querendo o chão.

Tudo isso é uma aventura,
é viver fora da realidade,
é fugir dos mil tropeços,
da turma dos arremessos
e das responsabilidades.

Trafego com minha mente,
pelos semáforos das diversidades...
Encontro gente boa e decente
lutando com unhas e dentes
por um espaço digno na sociedade.

A vida prepara ciladas,
experiências que me fazem crer...
E o fardo vai ficando pesado,
nós povo, continuando lesado,
pela cúpula do poder.

Uma dor me invade a alma,
e se espalha pelo coração...
Quando penso: Como é que pode,
tantas maldades em alguns homens,
que fazem da esperança a destruição.

Com falsidade eles batem no peito
Se convencendo por serem cristãos...
Mas os seus “deuses” são os prazeres e o dinheiro
seus anjos também são trapaceiros
todos borbulham no mesmo caldeirão.

Difícil quem lute em defesa da vida,
Só vejo aliados na morte do irmão,
Porque desconhecem o dom da partilha,
não rezam comigo da mesma cartilha,
não tem pelo outro, qualquer compaixão.

A nação está sofrendo as dores do parto,
a coisa é séria, chego até me comover,
os “doutores” sempre lavando suas mãos,
brigando entre si, arrumando confusão,
onde a mãe Pátria chora e os filhos não veem.