É saia ou cueca justa?

Dizem que o Brasil é um país jovem, desde a Proclamação da República em 1.889 tivemos 40 presidentes, enquanto que muitos países existem há centenas de anos. Será que é por isso que muitas regulamentações de leis existentes ainda não foram definidas? É só acontecer alguma novidade política como um presidente ser convocado a esclarecer alguns fatos ou algum senador ser pego com dinheiro na cueca, que ninguém sabe o que fazer.  Parece que a cueca justa do senador Chico Rodrigues ficou folgada, pois na providência tomada, o senador foi afastado por 120 dias e em seu lugar sabe quem? O seu filho, não é um disparate?.

Passa-nos a impressão de que não existe lei quando assuntos cheiram à corrupção e não se sabe por que não foram pensadas antes, tudo tem sabor de última hora, é até patético. O Congresso perde tempo em discussões fúteis, sempre quer instalar CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito), passar pelo regimento interno e às vezes o caso é dispare da lei que não foi regulamentada. Em recursos ao STF (Supremo Tribunal Federal), às vezes ministros dão interpretações diferentes ao mesmo objeto de avaliação. (Exceção de dois que deveriam formar uma dupla sertaneja, nunca desafinam entre si).  O tempo todo é assim e parece que nada está definido, tudo ainda vai ser discutido ou votado, não se sabe quando, o que precisa ser votado, se será com maioria simples ou com 2/3 dos votos válidos, com voto secreto ou voto aberto, ninguém sabe direito, sempre depende de alguma coisa, trancaram a pauta ou vão consultar os líderes dos partidos...

Afinal por que o nosso país é assim, tão confuso tão arbitrário? Sempre falta um procedimento não escrito, ou regulamentação da lei. Demora tanto para ser aprovada e não a completam em sua essência. Em outros casos há duplicidade, a lei de trânsito não é coerente com o código civil, em uma o motorista infrator pode ser preso, em outra é só pagar a fiança e ir embora, agora parece que mudou, vamos esperar para ver.  Em vista disso advogados carregam carrinhos de papéis dos processos com milhares de páginas, e lá se vão tempo e dinheiro do contribuinte, ou de alguém que possa pagar os melhores advogados.   

Quando seremos mais objetivos com menos discursos, menos gente, mais gestão e produtividade? Em muitos ambientes públicos tem lugar que está abarrotado de funcionários e em outros faltando gente para dar andamento básico na documentação. Precisamos de mais gestão e produtividade em tudo o que fazemos para baixar custos e dar acessibilidade a todos. Precisamos desburocratizar, tudo demora em acontecer, em âmbitos municipal, estadual ou federal. Para qualquer assunto precisamos de “juristas” para tirar as dúvidas, parece que não sabemos mais ler, escrever ou pensar.       

Senhores políticos criem leis objetivas, claras, concisas, sem segundas intenções. Façam valer os seus conhecimentos, afinal vocês não foram eleitos por acaso, sabem falar e o que precisa ser feito, legislem um pouco à nosso favor, esqueçam um pouco das corrupções, afinal somos nós que pagamos e muito bem os seus salários.

Sejam patriotas, esta é a palavra-chave, pensem um pouco na potência que podemos transformar esse país, isso só depende de nós, mas cada um deve fazer a sua parte. Senhores eleitores não votem em candidatos corruptos, principalmente nesses que já estão respondendo processos, esses que podem ir até a terceira instância, poucos países tem uma aberração jurídica desse calibre. Sabe aquela música “mas o pau que nasce torto não tem jeito, morre torto...”, é muito significativa para a escolha de nossos candidatos em todas as eleições, lembrem-se disso.