Cidadania e honestidade - ainda há esperança

Nas últimas semanas, notícias relacionadas à cidadania e à honestidade chamaram a atenção nos noticiários. Uma delas está relacionada à microexplosão ocorrida em Campinas, que derrubou centenas de árvores, destelhou dezenas de casas e causou inúmeros estragos. Moradores de casas afetadas por este fenômeno natural, com a necessidade de consertar suas casas rapidamente, logo no dia seguinte, procuraram uma grande loja de materiais de construção para repor e reconstruir o que foi danificado e perdido, retirando os materiais que necessitavam, porém sem pagar no ato da compra, devido à necessária urgência.
Então, o gerente da loja, assumindo o risco de não receber, mas se solidarizando com a situação, autorizou as pessoas a levarem os materiais, para que voltassem para pagar depois. Caso as pessoas não voltassem e dessem calote, o gerente poderia perder o emprego e ser responsabilizado pela atitude. Porém, no dia seguinte, para sua tranquilidade, as pessoas voltaram e pagaram o que fora comprado, demonstrando assim honestidade e atendendo à confiança do gerente.
Outro fato importante ocorreu em um shopping de Valparaíso de Goiás, no entorno do Distrito Federal. O ajudante geral Renato Ramos achou R$ 210 junto com uma conta de energia. Ao notar que a tarifa estava vencida, Renato não titubeou e a pagou. Logo após, fez uma publicação nas redes sociais para tentar encontrar a dona da conta e tranquilizá-la. A iniciativa logo repercutiu na web. Internautas elogiaram a atitude do jovem, dizendo que o Brasil precisa de pessoas honestas como ele. Em sua declaração, Renato disse que não pensou em ficar com o dinheiro, que não era dele, e, com certeza, ia ajudar muito mais a senhora que havia perdido o valor.
Ações como estas nos mostram que existe uma luz no fim do túnel e que, mesmo com o cenário político brasileiro muito conturbado, com fatos, relatos e evidência de corrupção e várias instâncias governamentais e empresariais, existem ainda existem pessoas que defendem a honestidade e a cidadania.
E com as eleições municipais em todo Brasil se aproximando, o recado que fica é que os eleitores sejam cidadãos honestos consigo mesmos e com toda a sociedade, não negociando seus votos, por privilégios pessoais ou particulares. Que o voto seja um instrumento de mudança da atual conjuntura política em todo o país. Só haverá políticos bons e não corruptos quando houver consciência por parte dos eleitores da grandeza e da importância do voto.