Anemia Falciforme

Neste mês, temos uma data importante a ser lembrada: 27 de Outubro é o Dia Municipal das Pessoas com Doenças Falciformes (Lei 5.610 de014/03/18).

A Anemia falciforme é uma doença genética e hereditária caracterizada por uma alteração dos glóbulos vermelhos do sangue, que perdem o formato arredondado e elástico e adquirem um formato de foice, por isso chamada de falciforme. A membrana mais endurecida dificulta a passagem do sangue por vasos de calibre menores o que compromete a oxigenação dos tecidos.

Essa condição é mais comum na raça negra, mas, por conta da miscigenação, é possível ser observada também em pessoas da raça branca ou parda.

Os sintomas geralmente aparecem na segunda metade do primeiro ano de vida. Ela pode se manifestar de forma diferente em cada indivíduo, conforme mencionarei abaixo, apresentando os principais sintomas.

A chamada “crise de dor” é o sintoma mais frequente da doença falciforme, causado pela obstrução de pequenos vasos sanguíneos pelos glóbulos vermelhos em forma de foice. A dor comumente ocorre nos ossos e nas articulações, porém, é capaz de atingir qualquer parte do corpo. Essas crises têm duração variável e possibilidade de ocorrer várias vezes ao ano. Geralmente, são associadas ao tempo frio, infecções, período pré-menstrual, problemas emocionais, gravidez ou desidratação;

Nas crianças pequenas, as crises de dor podem ocorrer nos pequenos vasos sangüíneos das mãos e pés, causando inchaço, dor e vermelhidão no local;

As pessoas com doença falciforme apresentam maior propensão a infecções e, principalmente, as crianças têm maior probabilidade a pneumonias e meningites. Portanto, ao primeiro sinal de febre, deve-se procurar o hospital.

A partir da adolescência há maior chance de ocorrência de úlcera (ferida) na perna, geralmente próximo aos tornozelos. As úlceras podem levar anos para a cicatrização completa, se não forem bem cuidadas no início do seu aparecimento. Para prevenir o aparecimento das úlceras, os pacientes devem usar meias grossas e sapatos;

Pode ocorrer também um aumento do baço devido a um sequestro de sangue, pois o baço é o órgão responsável por filtrá-lo, o que também vai comprometer a irrigação sanguínea dos demais órgãos; isso se trata de uma emergência médica.

Outros sintomas como fadiga intensa, palidez icterícia, atraso no crescimento, cálculos biliares também podem estar presentes.

O diagnóstico pode ser feito já ao nascimento com o teste do pezinho, ou mais tarde pelo exame de sangue, eletroforese de hemoglobina.

O paciente portador de anemia falciforme precisa ser acompanhado pelo médico por toda sua vida, estar atento aos sinais de gravidade e de crises, e adotar medidas de prevenção quando indicadas pelo seu médico.