ONG Balão Azul celebra Dia Mundial do Autismo

ONG Balão Azul celebra Dia Mundial do Autismo

Hoje, dia 2 de abril é Dia Mundial de Conscientização do Autism. Para celebra e marcar a data, a Associação de Pais e Amigos do Autismo - APAA - Balão Azul, de Valinhos se uniu à Associação Pais Autistas Ubatuba - APEAU - e está convidando você para fazer parte desta Campanha.

Levando em conta as medidas restritivas impostas pela pandemia de coronavírus, as associações decidiram criar um movimento virtual.

“Pedimos que todos se vistam de azul e postem uma foto. Neste dia nossa página vai estar aberta para que compartilhem conosco sua foto ou vídeo. Pedimos à aqueles que têm a camiseta do Balão Azul de qualquer um dos anos que fizemos a ação do dia 2, que postem com ela”, diz Giselle Dantas Vasquez, uma das fundadoras da associação.

De acordo com ela - que é mãe do pequeno Miguel, diagnosticado com autismo - esta será uma forma de não deixar a data passar em branco. “Vamos deixar o dia AZUL”.

Para participar basta postar a foto e marcar as redes sociais da APAA. Facebook “APAA Balão Azul” e Instagram @apaabalaoazul.

 

Data mobiliza a sociedade para a conscientização do transtorno e a importância do diagnóstico

Da mesma forma, a Secretaria de Saúde de Valinhos através do Departamento de Programas e Projetos em Saúde, promove a data mesmo com a pandemia do coronavírus, que impôs quarentena e uma nova rotina ao município e alerta sobre a importância de debater o assunto.

A detecção precoce do autismo, principalmente antes dos 3 anos de idade, pode garantir atendimento necessário nas áreas da saúde, educação, esporte, lazer, cidadania, para que a criança e sua família tenham uma vida independente e saudável.

Quanto mais cedo for feito o diagnóstico e o início do tratamento, menor será o impacto do transtorno no futuro para o portador.

O autismo é um prejuízo na interação social, afeta a forma como uma pessoa percebe o mundo e se socializa. Estima-se que uma em cada 160 crianças tenha o transtorno. Por definição, ele ocorre antes dos 3 anos de idade e é em torno de quatro a cinco vezes mais frequentes nos meninos.

De acordo com o psiquiatra Luis Fernando Beloti, a causa do autismo ainda é desconhecida, mas tem forte relação genética. “Os pais da criança precisam ter ciência de que, se existe um parente que tem o diagnóstico de autismo, eles devem ficar mais atentos ao desenvolvimento de seus filhos, para que, observando uma eventual alteração de comportamento, a criança seja rapidamente avaliada, tanto por um pediatra, quanto por psiquiatras da rede básica de saúde”, explicou.

O especialista enfatiza que a vacinação não é causadora de autismo. “Os pais não devem evitar a vacinação de seus filhos com medo que eles venham a desenvolver o transtorno”, afirmou.

 

Sinais do autismo

Alguns destes comportamentos podem ser observados pelos pais e servir de alerta sobre a suspeita do transtorno:

- A criança demora para falar as primeiras palavras ou evita o uso da palavra na comunicação.

- A criança pode querer assistir ao mesmo desenho ou brincar com o mesmo brinquedo durante muitas horas do dia, se recusando a mudar de atividade.

- Na escola, a criança pode querer ficar sozinha ou se sentir desconfortável ou irritada quando é obrigada a ficar em uma roda com outras crianças.

- A criança pode não querer determinados tipos de comida ou ficar muito incomodada de sujar as suas mãos.

- A criança pode evitar ter contato físico com outras, como beijos e abraços. 

- Alguns tipos de sons podem deixar a criança mais irritada, como barulhos altos e agudos.