Fundo Social e Senai formam primeiras turmas de Costura

Fundo Social e Senai formam primeiras turmas de Costura

A Primeira Dama, renata Previtale e as formandas da primeira turma. Iniciadas no dia 22 de agosto, as aulas gratuitas aconteceram de manhã e à tarde
A Primeira Dama, renata Previtale e as formandas da primeira turma. Iniciadas no dia 22 de agosto, as aulas gratuitas aconteceram de manhã e à tarde

A Prefeitura de Valinhos, através do Fundo Social de Solidariedade, e o Senai (Serviço Nacional da Indústria) formaram nesta quarta-feira (18) as duas primeiras turmas do Curso Profissionalizante de Técnica de Costura de Roupas. As 23 alunas receberam o certificado de conclusão da presidente do órgão e primeira-dama, Renata Previtale. O diretor do Senai Valinhos, Everson De Aro Capabianco, também esteve presente no encerramento do curso da manhã, com 12 alunas. O coordenador pedagógico do Senai, José Carlos Araujo Silva, participou da formatura da turma do período vespertino, com 11 alunas.

Iniciadas no dia 22 de agosto, as aulas gratuitas das duas turmas do curso, de manhã e à tarde, foram realizadas na Oficina de Costura do Fundo Social. Foram 80 horas/aulas por turma, em 20 dias úteis. O curso de costura e o de Técnicas de Panificação e Confeitaria, que está em andamento na Padaria do Fundo Social, são resultado de parceria do órgão, que disponibiliza espaços e estrutura moderna, com o Senai, que oferece professores e insumos.

Segundo a professora do Senai, Suzi Faria, cada aluna costurou quatro peças, camisa, casaco ou colete, camiseta, que já tinham a modelagem pronta, e saia. “No caso da saia, o aprendizado foi completo, desde o molde, passando pelo corte e costura, até a finalização”, explicou Suzi. Ela afirmou que a participação e o aproveitamento das alunas superou as expectativas.

“Foi a primeira vez que trabalhei com uma turma grande e foi uma experiência positiva. Metade das alunas nunca tinha costurado e todas concluíram o curso com peças finalizadas. Além disso, todas alunas perderam de fato o medo das máquinas e estão aptas a usar retas e overloque”, disse.

A presidente do Fundo Social agradeceu ao Senai pela parceria, à iniciativa e à vontade das alunas por participar de mais um curso do órgão, para capacitação, geração de renda e melhores oportunidades no mercado de trabalho. “É gratificante oferecer essa chance de profissionalização e ver a satisfação no olhar de cada uma de que a missão foi cumprida e o aprendizado valeu a pena”, disse Renata. Ela disse que pretende transformar a parceria com o Senai a primeira de muitas outras.

O diretor do Senai também agradeceu ao Fundo Social por ceder o espaço e a estrutura. “Essa parceria foi essencial, pois tínhamos a disponibilidade para oferecer o aprendizado, mas não tínhamos a estrutura adequada”, disse Capabianco. ele lembrou que o Senai está oferecendo 500 vagas de cursos gratuitos para Valinhos, e que as 100 disponíveis do Curso Profissionalizante de Técnica de Costura de Roupas foram as primeiras a serem preenchidas, muito rapidamente.

Capabianco lembrou que o Senai oferece cursos profissionalizantes gratuitos em todo o Estado, ação que busca a retomada da economia do pais com a oportunidade de geração de renda. “Os cursos profissionalizantes significam o primeiro passo para começar a trabalhar”, disse.

Missão cumprida

A massoterapeuta Rosangela Araujo Alves, 48 anos, que há um ano trabalha em uma empresa de confecção de roupas femininas, contou que buscou no curso aperfeiçoamento. “Creio que vou poder ajudar ainda mais na empresa. Pois lá só cortamos as peças e agora eu perdi o medo da overloque. Além disso, adorei fazer camisetas e quero produzir peças para os meus três filhos também”, comentou, empolgada.

A secretária Terezinha de Jesus Marcatto Pereira, 63 anos, disse que quis fazer o curso para economizar com reparos de suas roupas. “Tenho minha máquina de costura há 43 anos e tinha somente uma noção de como utilizá-la. Agora consegui me aperfeiçoar e já sei pregar um zíper e fazer prespontos nas peças de forma muito mais adequada. Eu adorei fazer o colete e quero confeccionar outros”, disse.

A estudante de direito Jucelia de Oliveira Santos Peres, 37 anos, comentou que fez o curso com a intenção de costurar para ela e a filha Gabriely, de 17 anos. “O que mais gostei foi de confeccionar minha própria saia. Também achei muito importante o fato da professora ser exigente e focar o acabamento bem feito”, comentou.

A auxiliar de lavanderia Maria do Carmo Vieira de Souza, 57 anos, disse que costura em casa há alguns anos, mas sempre teve vontade de buscar mais conhecimento na área. “Estou muito feliz pela oportunidade de aprender. Sinto-me realizada e vou em busca de outros cursos de aperfeiçoamento. Afinal, sonho em ter minha própria empresa, que já tem até nome MC Confecções”, planejou.

Mais informações podem ser obtidas no telefone 3849-4000.