Casa da Criança aposta na diversão com brincadeiras que passam de geração em geração

Casa da Criança aposta na diversão com brincadeiras que passam de geração em geração

Como prender a atenção das crianças em tempos de isolamento social, sem mergulhar no mundo digital o tempo todo? Esse foi o desafio lançado pela equipe do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos da Casa da Criança de Valinhos, em parceria com a Secretaria de Assistência Social de Valinhos.

Neste mês de abril, os educadores do projeto Janela Aberta apresentam a proposta de resgate de brincadeiras tradicionais, do tempo dos pais e avós. Com atividades remotas, enviadas em diários impressos e vídeos ensinando cada brincadeira, a instituição espera alcançar não somente os assistidos, mas também todas as crianças que toparem entrar neste desafio.

Serão diferentes propostas semanais, que vão apresentar brincadeiras como: amarelinha, pular corda, cama de gato, pega-pega, entre outras. Para mobilizar a cidade, a instituição propõe que todos entrem na brincadeira postando vídeos nas redes sociais, marcando a Casa da Criança de Valinhos com a #brincadeiradafamiliadacasadacrianca.

Para a Casa da Criança, a proposta poderá render momentos de união inesquecíveis para as famílias. Assim como lembra a diretora da instituição, Wanda Dini. “A minha infância foi marcada por brincadeiras tradicionais como pular corda, jogo de gato, amarelinha, cabeça de batata e a família participava com alegria e isso ninguém pode esquecer. As nossas crianças de hoje também podem descobrir um universo mágico, que independentemente do tempo desperta o interesse quando se brinca com quem a gente gosta. Sabemos que quando há sentimentos bons envolvidos a brincadeira se perpetua na memória das pessoas”, relata Wanda.

O Projeto Janela aberta informa que o objetivo da ação é resgatar as brincadeiras populares em família, para interagir com as crianças de forma orgânica, sem a interferência da tecnologia. “Vemos um mundo com uma infinidade de recursos digitais, tecnológicos, tentadores para todos, porém sabemos que nem todos têm os mesmos acessos, e até para quem tem a possibilidade de utilizar todas as inovações os excessos de estímulos artificiais são prejudiciais, imagina para as crianças. Assim lançamos este desafio para que as crianças possam perguntar aos adultos como eles se divertiam quando criança e dividir com a gente o que descobriram de brincadeiras antigas e, quem sabe, adaptá-las para se divertir em casa, com a família, nestes tempos de quarentena. Será muito divertido”, conta Lidiane Recco, coordenadora do Janela Aberta.  

Alguns jogos como cinco marias, jogo da memória, jogo da velha e cabeça de batata (batata quente) podem ser adquiridos na loja virtual do grupo de voluntárias Margaridas. O site da loja virtual das Margaridas estará disponível no perfil (BIO) do Instagram da Casa da Criança, somente neste mês de brincadeiras antigas.

Os interessados em apoiar os projetos da Casa da Criança de Valinhos podem entrar em contato pelo telefone 19 3871-0546 e acessar o site casadacriancadevalinhos.org.br