Dia dos Avós é comemorado nesta terça-feira, 26

Dia dos Avós é comemorado nesta terça-feira, 26

Avós são como pais. São um pedaço de paciência, com um misto de carinho e ofertas de comidas gostosas. São referência, espelho e como um porto seguro. São a ponte com o passado dos pais, e garantia de risadas com histórias da infância.
Nesta data, mimando a quem costuma mimar, a Folha de Valinhos traz uma homenagem de três jovens para seus queridos avós.

Bárbara Giacobelli, sobre a avó Clélia Maria da Costa

Ela mudou-se para Valinhos em 2013, se não me engano. Sempre que dava nós visitávamos ela e ela sempre nos visitava aqui em Valinhos. Aí conseguimos unir o útil ao agradável, que era viver perto dos filhos e netos e numa cidade que ela sempre achou maravilhosa.
Em São Paulo nossas visitas eram periódicas, às vezes ficávamos mais de um mês sem nos vermos. Hoje já é diferente, com a vinda dela pra Valinhos, tudo ficou mais fácil.
É praticamente todo final de semana. E se passa disso a D. Cléo vira o bicho!!! 
Tenho várias recordações, mas uma vez, há uns anos, a moda entre as meninas era pintar as pontas do cabelo com papel crepom. Eu era louca pra fazer isso, mas minha mãe, sempre durona, nunca deixou.
Numa das visitas da vovó, eu fiquei sabendo que ela precisava comprar tinta para os cabelos, pois tinha um compromisso importante assim que chegasse em SP. Eu, esperta e modesta que sou, a convenci a tingir com o papel. Imaginei que, enquanto ela estivesse tingindo o seu cabelo, eu usaria um pouquinho pra pintar o meu! 
Disse a ela que o papel vermelho ficava lindo, com uma cor super forte. No entanto, vovó estava com os cabelos loiros, quase brancos e aquela mistura de cores, mais a tinta do papel, resultou num cabelo PINK.
Resumindo, vovó voltou para São Paulo com cabelos, mãos, testa e unhas cor de rosa. E eu? Fiquei super feliz com as minhas novas mechas.

Mariana Boen, sobre os avós Vera Lucia Boen e Alcyr Boen

Semana passada passei uma tarde na casa dos meus avós. Isso, antigamente, era banal, parte da rotina, pois todos os dias eram dias de casa de vó. Tenho sorte, eu sei, de ter crescido junto dessas pessoas maravilhosas. Eu cresci em casa de vó e todo mundo sabe o que isso significa: significa afeto, muito carinho, muito bolo de cenoura, bolinho de chuva, "deixa a menina fazer o que ela quer!", "pode deixar que eu faço pra você", etc etc.
Só que a gente cresce. A gente cresce e a vida vira uma loucura. É faculdade, é trabalho, estágio, cada vez menos tempo pra passar a tarde na casa da vó. Mas casa de vó não tem prazo de validade e, na semana passada, quando passei o dia todo por lá eu tive bolinho de chuva, tive café, tive carinho, como sempre tive antes.
O ponto disso tudo é: não existe lugar no mundo como casa de vó porque não existem pessoas no mundo como os avós, essas pessoas abençoadas que Deus nos dá de presente.
Eu agradeço tanto, tanto por ter vocês na minha vida e eu espero de coração que eu ainda os tenha por muitos e muitos anos. É extremamente reconfortante saber que, não importa o quão alto eu queira voar, vocês sempre serão um ninho seguro pra voltar.
Feliz dia dos avós, obrigada por tudo e eu amo vocês

Ana Lígia, sobre os avós Alice, Álvaro, Shirlei e Antônio

Os avós nos motivam com sua sabedoria e nos ensinam com suas experiências, são o carinho certo, nas horas incertas! Alice, Álvaro, Shirlei e Antônio vocês são um exemplo para mim de uma vida cheia de vitórias e vencendo sempre com esforço e honestidade! Tenho muito orgulho e amor por vocês!