Monica Santos, Presidente da Associação Amigos do Vali fala sobre a situação do Setor de Turismo

Monica Santos, Presidente da Associação Amigos do Vali fala sobre a situação do Setor de Turismo

Mônica Santos, Presidente da Associação de Guias e Monitores Amigos do Vali, consultora e guia de turismo, promotora de eventos
Mônica Santos, Presidente da Associação de Guias e Monitores Amigos do Vali, consultora e guia de turismo, promotora de eventos

RAIO-X

Nome: Mônica Santos da Silva
Idade: 38
Cidade de nascimento: Campinas
Formação: Turismóloga, Guia de turismo regional nacional e América do sul, Técnica em turismo rural.
Profissão principais atividades: Presidente da Associação de Guias e Monitores Amigos do Vali, consultora e guia de turismo, promotora de eventos.

Durante os últimos meses, medidas de prevenção ao coronavírus - que incluem isolamento social e quarentena - foram adotadas em diversas partes do mundo. Porém, enquanto o distanciamento entre pessoas se apresenta como a melhor ferramenta de combate a propagação do vírus, diferentes setores da economia sofrem com uma crise sem precedentes. Entre eles, está a indústria do turismo, que teve praticamente todas as suas atividades suspensas.

Neste sábado, dia 13, comemora-se o Dia do Turista. Contudo, para os apaixonados por viagens, o momento não poderia ser pior. Para este ano, a Organização Mundial do Turismo (OMT), agência da ONU com sede em Madri, prevê um retrocesso de cerca de 30% no setor, o que representa cerca de 450 bilhões de dólares, quase um terço do 1,5 trilhão de dólares gerados em 2019.

Em Valinhos - cidade que integra o Polo Turístico do Circuito das Frutas -  os impactos atingem, os setores de hotelaria, bares e restaurantes, pesqueiros, entre outros. Para falar sobre o tema, convidamos a presidente da Associação de Guias e Monitores Amigos do Vali, Mônica Santos da Silva.

Como a quarentena afetou o setor de turismo em Valinhos?
O distanciamento social atingiu diretamente tanto atividades diretamente ligadas à indústria turística, quanto às indiretas, pois o turismo dá forma a uma cadeia produtiva que integra diversos setores como: meios de hospedagem, restaurantes, agências de viagens, guias de turismo, setores de artesanatos, atrativos turísticos, aluguéis de carros, serviços de transportes rodoviários turísticos, feiras, e eventos, casas de shows, sem falar nos setores de avião, cruzeiros marítimos e etc..
Com as restrições, algumas atividades tiveram que ser totalmente paralisadas e empresas demitiram parte de seus funcionários. Em outros casos, em que os pontos turísticos oferecem algum tipo de produto como é o caso de restaurantes, adegas, frutarias, entre outros, foi preciso se reinventar e adotar serviços de entregas e/ou retiradas de produtos.

Qual o impacto financeiro que essa paralização gerou para o setor?
O impacto financeiro foi enorme, pois além da paralização das atividades,  muitos serviços já estavam programados como diárias de hotéis, viagens, eventos, feiras... Então, com a imposição da quarentena, muitas empresas tiveram que negociar com seus clientes, sobre os produtos adquiridos antes da pandemia, o que logo no início gerou grande prejuízo.
No Brasil, o turismo já perdeu 90 bilhões e 727 mil empregos em três meses em decorrência da pandemia. Segundo estimativa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), em março - quando foi decretada a pandemia - o setor acumulou perda de 13,38 bilhões em relação à média mensal de faturamento nos meses anteriores, a paralisação quase completa do turismo fez com que setor perdesse 36,9 4bilhões em abril e 37,47 bilhões em maio, totalizando prejuízos na ordem de 87,79 bilhões.

Quanto o setor do turismo movimenta em Valinhos?
O setor turístico se movimenta na cidade através setores envolvidos como as como os meios de hospedagem, restaurantes, lanchonetes e bares, parques, campings, guias de turismos, pesqueiros, agências de viagens e etc.. Todos tiveram grandes prejuízos. Porém, não tenho os dados financeiros do setor em mãos, nem o número de empregos que o segmento gera na cidade. Mas esse levantamento é fundamental para criarmos alternativas e políticas públicas para ajudar o setor na recuperação pós-covid-19.

Como você acredita que será a recuperação do setor de turismo pós pandemia?
Após pandemia teremos o novo normal, as atividades não serão mais as mesmas, sentiremos os reflexos nas viagens internacionais, com fechamento de algumas fronteiras, e também a alta do dólar e instabilidade na economia. Com a diminuição do turismo externo, isso fará com que o turismo doméstico tenha um aumento, assim como atividades em áreas abertas como o ecoturismo, agroturismo, turismo de experiências e viagens regionais. Acredito que como muitas empresas anteciparam as férias, e a instabilidade financeira da população, teremos essa movimentação regional.
O turismo de massa, e o e as viagens internacionais levarão mais tempo para se recuperar.
Após pandemia, todo o setor terá que seguir algumas normas e protocolos de atendimento para manter a atividade turística segura. O Ministério do Turismo lançou um selo de Turismo responsável limpo e seguro. A iniciativa tem como objetivo auxiliar o turista na retomada de viagens. Os turistas irão procurar estabelecimentos que tenham esse selo. Os guias da associação também estão se preparando para receber o selo, para garantir ainda mais melhorias no atendimento aos turistas.
O selo é disponível para o setor hoteleiro, agências de turismo, transportadoras turísticas, organizadores de eventos, parques temáticos, acampamentos turísticos, restaurantes, cafeterias, bares e similares, parques aquáticos, locadora de veículos e guias de turismo.

Quantas pessoas fazem parte da associação hoje?
Somos em 15 associados: 6 guias de turismos e 9 monitores e contamos com uma rede de colaboradores.

Fale sobre potencial turístico da cidade de Valinhos, ele é 100% aproveitável ou poderia ser mais explorado?
Valinhos tem um potencial enorme para o turismo. Atualmente, o mais explorado é o Agroturismo, que já atua há mais de 20 anos no município, mas temos também vários roteiros que valorizam outros atrativos do município como o turismo Religioso, Ecoturismo, Flores e sabores. Rota da cerveja artesanal, City tour e o turismo cultural.
Temos notado o aumento do número estabelecimentos que querem abrir suas propriedades rurais e comerciais, pois a atividade de turismo realizada de forma sustentável e com muita dedicação agrega valor e renda ao município e a todos os envolvidos.
A cidade também tem grande potencial para eventos, através de espaços com Parque Municipal Monsenhor Bruno Nardini, Praça Washington Luiz e alguns espaços privados. Seria interessante incentivar o fomento dos mesmos, pois eventos atraem visitantes e movimentam o trade turístico.
Acredito que o ecoturismo, turismo religioso, serão um grande diferencial para o crescimento do setor em Valinhos. Afinal, possuímos toda a infraestrutura para atendimento do turista. Temos excelentes restaurantes, meios de hospedagem, guias de turismo e monitores. A meu ver, exploramos muito pouco as potencialidades. Precisamos fortalecer as parcerias entre os setores público e privado e o terceiro setor para que o turismo possa crescer de forma organizada e com sustentabilidade, gerando emprego e renda para a comunidade local.

Como presidente da associação representativa de uns dos setores mais afetados pela pandemia, como você enxerga a quarentena e as medidas de isolamento social?
Acho a medida de isolamento social necessária, pois, temos que nos cuidar. Na atividade turística temos muito contato físico. Então, é hora de pausar, programar, orientar e reciclar para que possamos ter um maior controle, para evitar o máximo à contaminação. Vale lembrar que cada região tem sua particularidade e deve ser avaliada, cada caso conforme as suas demandas. Com a flexibilização, temos que ficar atentos aos protocolos de segurança para nossa atividade turística para oferecer um trabalho com segurança para nossos clientes.
E acho que devemos valorizar o comércio local, seja ele de produtos ou serviços, para que após essa pandemia possamos nos erguer ainda mais fortes.

+ Fotos: