Folha de Valinhos entrevista Franklin Duarte, novo presidente da Câmara

Folha de Valinhos entrevista Franklin Duarte, novo presidente da Câmara

Franklin Duarte, 37 anos, presidente da Câmara
Franklin Duarte, 37 anos, presidente da Câmara

RAIO x
Nome: Franklin Duarte
Idade: 37 anos
Formação: Administração de Empresas, pós em Gestão Pública
Ocupação: Vereador/Presidente das Câmara

‘O foco de qualquer autoridade política deste País tem que ser o bem-estar da coletividade’

A Folha de Valinhos entrevista Franklin Duarte, novo presidente da Câmara Municipal de Valinhos para o biênio 2021/2022. Franklin está em seu segundo mandato e ocupou a função de 4º secretário no biênio 2017/2018. O vereador tem 37 anos, é casado, pós-graduado em Gestão Pública, formado em Administração de Empresas e atualmente está no quarto ano de Direito. Tem uma trajetória de quase 20 anos dedicados ao funcionalismo público municipal, com experiência também no Executivo. Além disso, a experiência com instituições sociais e culturais o levou a dedicar parte da vida a ações voltadas para o Terceiro Setor.

Qual a sua expectativa para o mandato?
A expectativa é a melhor possível. Tenho consciência de que serão muitos desafios nos próximos anos. Ainda estamos vivendo uma pandemia que exige de todos nós, representantes da população, uma responsabilidade para fazer diferente, para contribuir e devolver a todos os valinhenses a esperança por um futuro melhor, com mais saúde, assistência e renda, áreas que foram muito impactadas nos últimos meses. O papel da Câmara nesse processo é fundamental, por isso teremos um mandato participativo com muito diálogo.

Quais os desafios desse mandato?
São muitos. Além da pandemia, que precisa ser enfrentada com seriedade, estamos começando também um novo governo e uma nova legislatura. O ano de 2021 traz pautas importantes tanto aqui na Câmara quanto no Executivo. Devemos discutir questões relacionadas ao Plano Diretor, zoneamento urbano, estruturação administrativa e revisões em leis e normas.  Com certeza será um ano de muito trabalho, e a população vai acompanhar todas essas nossas ações de forma bem transparente, que é o meu jeito de trabalhar.

Como você analisa a formação da Câmara?
A política tem passado por mudanças, e hoje, aqui na Câmara, vemos uma pluralidade de partidos muito interessante. São 10 partidos sendo representados, em um total de 17 vereadores. Vejo isso com bons olhos, porque a população, por meio do seu voto, construiu uma Câmara plural e isso só tem a agregar positivamente na construção de um novo projeto político para a cidade, um projeto que atenda aos anseios de cada um dos eleitores.

O tema Plano Diretor deve estar na pauta. Qual a sua opinião?
Se o Plano Diretor chegar efetivamente à Câmara neste ano, queremos fazer o melhor trabalho possível em cima dele. Vamos nos debruçar para analisar todos os aspectos e abrir espaço para a participação popular. Enquanto presidente do Legislativo, darei total condição para cada um dos vereadores participarem e estudarem o Plano Diretor, que é um documento complexo e que exige um bom acompanhamento técnico. Montarei uma comissão parlamentar que vai, com o auxílio de profissionais, estudar ponto a ponto. Só assim, com muito estudo, trabalho, diálogo e participação, é que vamos aprovar o melhor para a cidade.

Por que você entrou para a política?
Meu interesse pela política começou muito cedo, quando tinha apenas 15 anos. Me envolvi pelas questões sociais, culturais, esportivas e ambientais, associadas à minha vontade de contribuir com a cidade. Aos 15 anos, ingressei como patrulheiro na Secretaria de Esportes e Lazer da Prefeitura de Valinhos. Em 2002, fui aprovado em concurso público para trabalhar no Departamento de Vigilância em Saúde e, em 2007, trabalhei na Câmara Municipal na área legislativa. Voltei a atuar na Prefeitura em 2013, assumindo o Departamento de Turismo, com a missão de fomentar e alavancar o setor. Ao todo, tenho uma trajetória de mais de 20 anos dedicados ao funcionalismo público municipal, com experiência no Executivo no Legislativo. Além disso, a experiência com instituições sociais e culturais me levou a dedicar parte da vida a ações voltadas ao Terceiro Setor. Posso dizer que desde minha adolescência busco, incansavelmente, contribuir com o desenvolvimento de Valinhos.

A política vive período de descrédito no País. E você é um jovem na política. Você tem noção da responsabilidade e que é referência para os mais jovens?
Sinto-me lisonjeado em ser referência para a juventude e isso só foi possível conquistar com simplicidade e vontade de sempre fazer o bem. Nunca negociei meus princípios e valores. É importante destacar que antes de ser político, eu também sou eleitor. Houve uma época em que eu também não me sentia representado pelos que lá estavam e foi quando comecei a traçar a minha própria trajetória, acreditando na Política com P maiúsculo, porque pra mim Política é para servir e não se servir, é fazer algo visando o bem comum. É o que acredito e é sempre com esse pensamento que vou trabalhar.

Uma de suas virtudes é promover diálogo visando consenso e unidade. Como zelar pela unidade com tanta polarização?
Se a gente detecta uma polarização, é aí que se faz mais necessário o diálogo. Somente com discussão e entendimento é que chegamos a um consenso. O foco de qualquer autoridade política deste País tem que ser o bem-estar da coletividade. Temos que ver o que é melhor para o município, e não o que é melhor para A ou para B.